Sem acordo, médicos poderão suspender atendimento por planos

10/06/2013


Durante a Assembleia Geral dos Convênios, nessa quinta-feira, 6, o CREMERJ, a Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), a Central Médica de Convênios e as sociedades de especialidade decidiram que vão indicar a suspensão do atendimento por guias dos planos Bradesco Saúde, Porto Seguro e Geap, por não apresentarem propostas de reajuste. 

Os médicos também irão recomendar aos colegas que não assinem contratos com as operadoras antes de serem concluídas as negociações dos reajustes de honorários. Além isso, a categoria irá divulgar para a população, por meio de folders e anúncios, que os médicos cumprem a ética profissional e atendem a todos igualmente, apesar de no serviço prestado em enfermarias, receberem a metade do montante pago em quartos particulares. Por essa razão, querem a equiparação de tais valores. 

No encontro, decidiu-se ainda a data da próxima assembleia, que será no dia 20 de junho, na sede do CREMERJ. Na ocasião, será determinado o início da suspensão dos atendimentos das operadoras que não apresentarem propostas.

A presidente do CREMERJ, Márcia Rosa de Araujo, também disse que será elaborado um dossiê com todas as argumentações do movimento. O objetivo é apresentá-lo, durante reuniões, para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e para a Procuradoria do Consumidor Federal e Estadual. 

“Esse movimento é fundamental, porque pressiona os planos de saúde em relação às nossas reivindicações. Temos um compromisso com a população e cumprimos o nosso trabalho prezando sempre fazê-lo eticamente. Não há distinção nos atendimentos, por isso a equiparação dos valores dos procedimentos médicos realizados em enfermarias aos dos quartos é justa”, afirmou Márcia Rosa. 

Antes da assembleia, o CREMERJ e as sociedades de especialidade fizeram uma rápida reunião, onde discutiram sobre as propostas que seriam apresentadas.