Médicos se reúnem em assembleia Hospital Federal da Lagoa

31/05/2013


Durante assembleia nessa terça-feira, 28, médicos do Hospital Federal da Lagoa, criticaram a intenção do Ministério da Saúde (MS) de colocar a subsidiária da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Saúde Brasil, para gerir os institutos e hospitais federais do Rio de Janeiro. Os colegas demonstraram preocupação com o descaso por parte do MS em relação à saúde e também aos servidores públicos. 

Em seu pronunciamento, a presidente do CREMERJ, Márcia Rosa de Araujo, falou sobre a gratificação dos médicos, que ainda não foi reajustada, e da aposentadoria dos colegas baseada nos mandados de injunção, que foi suspensa. 

“Ainda não conseguimos negociar a nossa gratificação, o que é um absurdo. Infelizmente, o atual Ministério da Saúde se fechou para o diálogo com os médicos, mas vamos fazer a nossa parte, porque não deixaremos de lutar. Vamos para as ruas reivindicar o nosso reajuste, a liberação da aposentadoria dos colegas, a permanência da prova de revalidação e protestar contra a Ebserh”, declarou.

Márcia Rosa motivou ainda os médicos a participarem no dia 5 de junho da manifestação que acontecerá na Cinelândia, às 10h. Além disso, convidou os colegas para comparecerem na assembleia do dia 3 de junho no Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), que definirá detalhes do ato público. 

Participaram também do encontro os conselheiros Pablo Vazquez e Sergio Albieri; o presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), Jorge Darze; e representantes de outros institutos e hospitais federais.