Presidente Dilma, salve a Saúde Pública do Rio

09/05/2013



O Conselho Regional de Medicina vem a público solicitar a intervenção direta da presidente Dilma no caos que se instalou na Saúde pública do Rio de Janeiro.

Problemas sérios nos hospitais federais, estaduais e municipais vêm sendo constatados e denunciados pelas nossas inúmeras fiscalizações há muitos anos, como a falta de médicos e de outros profissionais de Saúde, de insumos e de infraestrutura. As emergências encontram-se superlotadas, com pacientes internados nos corredores, sentados em cadeiras ou mesmo deitados no chão.

A terceirização e a privatização da Saúde pública e os salários irrisórios propostos pelos concursos e pagos aos estatutários têm levado à desativação progressiva dos serviços. O CREMERJ repudia ainda programas como a importação de médicos sem a revalidação de diplomas no Brasil, uma medida desnecessária, pois não faltam médicos no país. O que deve existir é a devida valorização da categoria.

O CREMERJ responsabiliza o Ministério da Saúde e as Secretarias Municipal e Estadual de Saúde por esta situação de calamidade. Há décadas, vemos a incompetência e a irresponsabilidade de assessores e técnicos do Ministério da Saúde, com ideias obsoletas de quem nunca atendeu sequer um paciente na vida.

O CREMERJ solicita à presidente Dilma audiência para relatar o verdadeiro massacre ao qual a população carente do Rio de Janeiro é submetida ao frequentar os hospitais públicos. A Saúde pede socorro diante deste verdadeiro genocídio.

Convocamos os médicos e a população para manifestação nesta quinta-feira, dia 9 de maio, às 10h30min, na sede do CREMERJ.

Rio de Janeiro, 9 de maio de 2013

Márcia Rosa de Araujo
Presidente do CREMERJ

 

Nota publicada no jornal O Globo, na página da coluna de Ancelmo Gois, em 9 de maio