CREMERJ condena importação de médicos cubanos

07/05/2013


O CREMERJ repudia o acordo entre Brasil e Cuba, que prevê a importação de cerca de seis mil médicos cubanos para atendimento em regiões pobres, onde a assistência à saúde é deficiente. O CREMERJ condena a iniciativa do Governo Federal de proporcionar a entrada irresponsável de médicos estrangeiros e de brasileiros com diplomas de medicina obtidos no exterior sem que tenham passado pela respectiva revalidação. O acordo configura, ainda, uma pseudoassistência à população, onde haverá médicos não capacitados atuando no país, colocando, assim, a sociedade em risco.

O CREMERJ vem afirmando que não faltam médicos no país, e sim concursos públicos com salários adequados às nossas responsabilidades, com plano de cargos, vencimentos e carreira de estado. Além disso, o Conselho acredita que tal modelo não garantirá qualidade no atendimento à população. "Concursos públicos com melhores salários e condições adequadas de trabalho irão melhorar a assistência médica à população. Não há carência de médicos no país, há falta de incentivo do governo à saúde pública", afirma a presidente do CREMERJ, Márcia Rosa de Araujo.