SBACV lança campanha de segurança na escleroterapia

27/11/2019

Objetivo é orientar a população sobre riscos de se fazer tratamento de vasinhos e varizes com não médico

Não é raro se ver nos jornais pessoas que tiveram trombose ou embolia pulmonar por um tratamento estético malsucedido. Com o slogan #Naoseengane: tratamento de varizes e vasinhos é com o angiologista ou cirurgião vascular , a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) inicia uma Campanha Nacional de Segurança na Escleroterapia a fim de esclarecer para a população que o tratamento das veias varicosas não é um procedimento meramente estético e, portanto, precisa ser realizado por um médico habilitado.

A campanha é um alerta sobre a importância de tratar vasinhos e varizes com um médico angiologista ou cirurgião vascular. Por mais que pareça simples, a escleroterapia feita com dosagem de produto inadequada ou de forma errada pode trazer graves consequências ao paciente, enfatiza o presidente da SBACV, Dr. Roberto Sacilotto.

Entre as complicações de um procedimento malsucedido estão: feridas (úlceras de difícil cicatrização), manchas escuras, flebites superficiais ou trombose venosa profunda (formação de coágulo em uma veia superficial ou veia profunda) e até mesmo cegueira. Apenas o médico especializado é capacitado para tratar corretamente as varizes e até mesmo para saber agir frente a uma complicação.

A campanha engloba banners em sites nacionais de grande abrangência e vídeos que serão disponibilizados nas redes sociais da Sociedade (Facebook e Instagram: @sbacvnacional e Twitter: @SBACV) e YouTube. O vídeo esclarece o que são varizes, quais sintomas, por que tratar e qual profissional deve tratá-las, aponta Dr. Sacilotto.

Como segunda etapa da campanha, a SBACV lançará um blog dedicado ao esclarecimento da população sobre as doenças vasculares. Muitas pessoas têm se orientado sobre doenças e tratamentos na internet. Mas é preciso ter cuidado para se certificar que você está acessando um conteúdo de qualidade que reflita a realidade e, por isso, é nossa missão desenvolver esse material para a população para que as pessoas tenham um espaço informativo no qual possam confiar no que estão lendo e, assim, não caiam em armadilhas, explica o presidente da SBACV.

Cerca de 37,5% da população têm varizes

Estudos nacionais mostram que em torno de 37,5% da população apresenta varizes. O problema é mais comum entre as mulheres na proporção de 4 para 1 homem. Não há prevenção para as varizes, mas seus sintomas podem ser minimizados com o uso de meias elásticas compressivas, prescritas pelo médico, e com o relaxamento das pernas, colocando-as para cima por cerca de 15 a 20 minutos ao fim do dia.

O tratamento dos vasinhos (telangiectasias) é feito através da aplicação de um líquido diretamente no vaso, que promove a secagem do mesmo e, com o tempo, seu desaparecimento. O resultado é observado no decorrer dos dias. Esse procedimento é chamado de escleroterapia. As sessões ocorrem com um intervalo de uma semana, geralmente. O número de sessões depende da quantidade de vasos. Não há contraindicações, exceto pacientes grávidas ou em período de amamentação.

Nos casos de veias varicosas de grosso calibre que, em muitos casos, envolve comprometimento das veias safenas, o tratamento é quase sempre cirúrgico. Mas em pacientes com problemas clínicos que tornam a cirurgia proibitiva ou nos casos em que o paciente apresenta já alterações de pele ou úlceras na perna, a escleroterapia com espuma densa é uma boa alternativa, trazendo resultados satisfatórios. O procedimento necessita de algumas sessões em casos de pacientes com grande quantidade de varizes.

Fonte: SBACV