Homenagem a memória de Carlos Chagas

11/07/2019

Dia 9 de julho foi aniversário de um grande brasileiro reverenciado no resto do mundo e esquecido aqui para variar.

Nesse dia, em 1879, nasceu Carlos Justiniano Ribeiro Chagas, o Médico Sanitarista Dr. Carlos Chagas.

 Iniciou a carreira combatendo a Malária, como pesquisador descobriu que o protozoário Trypanosoma cruzi, que batizou com o nome de outro genial médico, seu amigo Oswaldo Cruz, era o causador da debilitante doença que ganhou seu nome, o "Mal de Chagas" ou tripanossomíase americana.

 Não sei se é fato, mas segundo os escritos de consulta, permanece, até os dias de hoje, como o único médico no mundo que descreveu completamente uma doença infecciosa, do patógeno, ao vetor, passando pelos os hospedeiros, suas manifestações clínicas e a epidemiologia. Para mim seria um feito digno do Nobel.

Se dependesse da mãe seria engenheiro, mas não foi aprovado nos exame admissionais. Consegue vencer a resistência materna que, ironicamente, não via grande futuro na medicina e vai para o Rio de Janeiro estudar, bem a tempo de participar da revolução causada por Pasteur e seu uso sistemático do microscópio na busca das causas das doenças, como escrevi aqui anteriormente. Quando se formou foi trabalhar sob orientação do grande Oswaldo Cruz de quem virou amigo e braço direito, se envolveu em diversas pesquisas inclusive na que levou a "Doença de Chagas" primeiramente descrita por ele.

Seu momento de glória foi na epidemia de Gripe Espanhola que assolou o mundo em 1917/18, atingindo 2/3 da população mundial e incontáveis vítimas. No Rio a doença chegou em algum momento de 1918 e logo já se contavam mais de 600 mil habitantes doentes, graças a estratégia de combate a doença imposta por Chagas o país não foi tão duramente atingido quanto o resto do mundo, e se estima cerca de 11 mil vítimas incluindo o presidente da república da época.

 Chagas e a família também ficaram doentes, mas o tratamento imposto por ele erradicou a Gripe do Rio em Novembro de 1918, enquanto ainda se morria aos magotes em outras partes do mundo.

 Recebeu inúmeras homenagens e diplomas por todo o mundo, de Harvard ao Instituto Pasteur e universidades Alemãs. Recebeu os títulos de Cavaleiro da Ordem da Coroa da Itália, de Comendador da Coroa da Bélgica e de Cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra da França, o Grau de Oficial da Ordem de São Thiago, de Portugal, de Comendador da Ordem de Afonso XII, Espanha, de Comendador da Ordem de Isabel, a Católica da Espanha e de Cavaleiro da Ordem da Coroa da Romênia. Foi duas vezes indicado para o Nobel de Medicina em 1913 e 1921, mas teve a indicação sabotada pelos colegas brasileiros que questionavam publicamente a existência do "Mal de Chagas".

 A inveja tirou de um grande homem e do Brasil o único Nobel que merecemos de fato até hoje.

 Não se esqueçam jamais de Carlos Chagas. Um Grande Brasileiro!