Banco de Leite Humano do IFF/Fiocruz inicia campanha de doação de 2019

20/02/2019

O Banco de Leite Humano (BLH) do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), no Rio de Janeiro, realiza, nos meses de fevereiro e março, campanha de doação de leite humano. O objetivo é sensibilizar mulheres que estejam em fase de amamentação a se tornarem doadoras para suprir as baixas nos estoques que costumam acontecer no período de férias, a partir da chegada do verão, com as festividades do final de ano e até a temporada de Carnaval, que, este ano, acontecerá no mês de março.

A queda do estoque é comum em todo Brasil nesta época devido a muitas mães doadoras aproveitam as férias coletivas, escolares e de trabalho para viajar, afastando-se da cidade onde moram e se desligando do programa de doação de leite ao qual pertencem. Infelizmente, isso prejudica o aprovisionamento de leite aos bebês prematuros, de baixo peso ou portadores de patologias, internados nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatais (Utins) e que não podem ser amamentados pela própria mãe.

Segundo a gerente do BLH do IFF/Fiocruz, Danielle Aparecida Silva, essa queda nas dotações, de até 60% nos estoques da unidade, compromete o desenvolvimento e a nutrição, especialmente de recém-nascidos prematuros. De acordo com ela, são necessários, em média, 300 litros/mês para atender a todos os lactentes internados no Instituto, e, desde o início de 2019, foram coletados apenas 110 litros, menos da metade do que é preciso.

“A doação de leite é importante para o bebê que recebe a doação, pois é um leite de qualidade nutricional elevada que vai ajudá-lo a sair deste período de risco. A doação também se faz importante para a mãe deste bebê prematuro, pois com a certeza que seu filho está recebendo o melhor alimento, isso a deixa mais tranquila e facilita o processo de produção de leite para o seu próprio bebê. E a mãe que doa também ganha, pois, o ato de retirar o volume excedente evita mastite e quanto se doa mais se produz, não faltando nunca para o seu filho. Os bebês prematuros que necessitam desta doação, consomem um volume de leite muito baixo, 2 a 5mL a cada duas, três horas, então você, mãe, que está amamentando, se doar um pouquinho por semana estará ajudando mais de um bebê”, acrescenta Danielle Aparecida sobre a importância da doação e, por tanto, da campanha.

Embora seja uma realidade a diminuição nos estoques de bancos de leite nestas temporadas em todo o Brasil, também é verdade que no caso do Rio de Janeiro a situação é mais complicada, pois muitos dos pontos de coleta estão na capital e a doadora que viaja não tem como doar em outro lugar do estado. Sobre isso, Danielle explica que existe a alternativa de outras mães de recém-nascidos que estejam de visita à cidade do Rio de Janeiro doarem nos postos de coleta e bancos de leite disponíveis.

Veja aqui a lista dos BLHs e postos de coleta no Estado do Rio de Janeiro: https://rblh.fiocruz.br/localizacao-dos-blhs

Como se tornar uma doadora

As mães interessadas em doar, devem estar em fase de amamentação, produzir um volumem de leite maior do que seu próprio filho precisa, ter boa condição de saúde e não tomar medicamentos contraindicados com a amamentação. Se a mãe cumprir com isto, para fazer o cadastro o próximo passo é ter em mãos os últimos exames realizados no pré-natal e entrar em contato com o Banco de Leite Humano do Instituto através do telefone 0800 026 8877, ou no prédio do IFF/Fiocruz na Av. Rui Barbosa 716, no Rio de Janeiro. Elas serão orientadas sobre como fazer corretamente a coleta de leite para doação. A partir daí, a mãe já está pronta para doar, e, após essa primeira coleta, o BLH pode providenciar o serviço de assistência na retirada de leite na própria residência da doadora. Confira aqui o passo a passo para a coleta: https://rblh.fiocruz.br/como-coletar-o-leite-humano-para-doacao

 

Fonte: Ascom Fiocruz