Livro inédito reconta quatro séculos de Medicina em Niterói

04/02/2019

O lançamento do livro "A História da Medicina em Niterói" foi marcado por um coquetel no Bistrô MAC, no mês de janeiro, que contou com a presença de renomados médicos e presidentes de entidades médicas e assistenciais da cidade. Emocionados, eles não pouparam elogios à qualidade gráfica e ao ineditismo da obra. Em 216 páginas, a publicação inédita tem por objetivo trazer um panorama atualizado da trajetória da Medicina e da classe médica em Niterói, desde a fundação da cidade até os dias atuais, atravessando quatro séculos de acontecimentos e personalidades que marcaram tanto a população local quanto os rumos da saúde no estado e no país. 

 

Produzido por Franciane Barbosa e Antonio Duarte, da DB Editora, o livro é um dos primeiros a serem realizados através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (nº 3182/2015), tendo como único incentivador o Complexo Hospitalar de Niterói, cuja diretora Dra. Ilza Fellows abraçou o projeto editorial, desde o primeiro momento em que foi apresentado. A lei entrou em vigor a partir do mês de agosto de 2017, com o objetivo de fomentar a cultura na cidade através do incentivo a projetos culturais locais por meio de renúncia fiscal do IPTU ou ISS por pessoa física ou jurídica. Totalmente acessível, com tiragem de dois mil exemplares e distribuição 100% gratuita - assim como sua impressão via internet - o livro está direcionado principalmente a bibliotecas, escolas, universidades e instituições médicas.

 

O livro mapeia a história de instituições importantes ao município, incluindo hospitais ativos e inativos e entidades classistas e assistenciais, além de patrimônios de projeção nacional, como o Programa Médico de Família, o Instituto Vital Brazil e a Universidade Federal Fluminense. O trabalho também exalta a rica carreira de alguns dos principais nomes da Medicina da cidade, muitos pioneiros em âmbito internacional que colaboraram no admirável vanguardismo de Niterói. A publicação não tem a pretensão de extinguir o tema, que guarda em si um manancial de informações que não podem ser retratadas em tão poucas páginas. A obra foi produzida por uma equipe composta pelos jornalistas Irma Lasmar, Verônica Oliveira e Sergio Meirelles, a historiadora Antoane Rodrigues e o fotógrafo Antonio Schumacher. 

 

Tratando-se de um projeto cultural incentivado, o livro A História da Medicina em Niterói possuiu prazo para a realização, que foram de apenas quatro meses, e número de páginas pré-estabelecido. Por esse motivo, a organizadora Franciane Barbosa, devido ao extenso número de médicos renomados presentes em Niterói, teve que exercer um poder de síntese e, infelizmente, deixou de contemplar outros profissionais de igual renome. Entretanto, ela destaca que, ao homenagear um grupo de 25 grandes nomes da Medicina, a intenção foi reverenciar toda a classe médica da cidade. 

 

O livro pretende servir de base a estudiosos e curiosos sobre o tema, entre profissionais e leigos, e homenagear mais de cem grandes médicos (presentes e saudosos), registrando suas realizações e qualidades humanas em biografias que os conservem como exemplo às futuras gerações. Entre os médicos homenageados no capítulo intitulado honoris causa, constam os seguintes nomes: Alair Augusto Sarmet Moreira dos Santos, Alan Castro Azevedo e Silva, Alcir Vicente Visela Chácar, Aloysio Decnop Martins, Antonio Cláudio Lucas da Nóbrega, Benito Petraglia, Francisco José D´Angelo Pinto, Fábio Tinoco Mathias, Geraldo Martins Ramalho, Gesmar Volga Haddad Herdy, Guilherme Eurico Bastos da Cunha, Herbert Praxedes, João Marcio de Moraes Garcia, Leandro Pataro Calvão, Luiz Carlos da Silva Pegado, Luiz Felippe Judice, Mauro Romero Leal Passos, Moyzes Pinto Coelho Duarte Damasceno, Paulo César Santos Dias, Paulo Cezar de Malta Schott, Ronaldo Pontes, Salvador Borges Filho, Vilma Duarte Câmara e Willian Alberto do Amaral Ribeiro.