Setembro Amarelo: um suicídio a cada 45 minutos no Brasil

04/09/2018

Os números são estarrecedores. Todos os anos são registrados mais de 12 mil suicídios no Brasil. A cada 45 minutos um brasileiro morre vítima do suicídio. Em todo o mundo, ele mata mais que as guerras. Para reverter este quadro, foi criado o movimento mundial Setembro Amarelo, que é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. 

Preocupado com esse importante tema de saúde pública, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) desenvolvem uma série de ações na perspectiva de que é possível prevenir esse problema, com o apoio de profissionais de saúde, de todos os níveis de atenção, que estejam aptos a reconhecer os seus fatores de risco. 

Durante todo o mês, as redes sociais do CFM, assim como todos os seus veículos de comunicação (jornal, boletim e site), transmitirão informações que poderão ajudar a sociedade a desmitificar a cultura e o tabu em torno do tema e auxiliar os médicos a identificar, tratar e instruir seus pacientes. Uma página de internet também foi desenvolvida para divulgar as ações da campanha Setembro Amarelo e disponibilizar as peças de divulgação: www.campanhasetembroamarelo.com.br. 

Transtorno psiquiátrico – Segundo a ABP, cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias. Visando contribuir para a redução desses números alarmantes, a campanha Setembro Amarelo busca conscientizar a população acerca da importância da identificação e tratamento corretos das doenças mentais, o que traria um impacto direto na redução das mortes por suicídio. 

Falar sobre suicídio de maneira responsável e com base em informações corretas ajuda na sua prevenção. Pensando nisso, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a ABP e lançaram duas cartilhas com orientações acerca do tema: "Comportamento suicida: conhecer para prevenir", um manual dirigido a profissionais da imprensa; e "Suicídio: informando para prevenir", voltada aos profissionais da área de saúde. 

Para o coordenador da Câmara Técnica de Psiquiatria do CFM, Salomão Rodrigues, é possível prevenir o suicídio, desde que os profissionais de saúde de todos os níveis de atenção estejam aptos a reconhecer os fatores de risco presentes e que as autoridades desempenhem seu papel neste processo. “Estamos com índices muito altos, são 12 mil suicídios por ano no País apenas de dados oficiais, pois em muitas regiões o suicídio não é devidamente notificado pelas autoridades de saúde”. 

Fonte: Site do CFM