Pediatras lançam o Agosto Dourado – mês para estimular e apoiar o aleitamento materno no Brasil

01/08/2017

A partir de 2017, todo mês de agosto será dourado para a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que elegeu o período como para sua campanha de estímulo ao aleitamento materno. Serão 31 dias, a partir desta terça-feira (1º), em que a entidade que congrega os pediatras do País, estará buscando a sensibilização de profissionais e da população em geral para a importância do ato de amamentar, buscando o apoio e o estímulo a esse gesto.

Em mensagem de vídeo encaminhada aos profissionais, a presidente da SBP lembrou da oportunidade ímpar que o Agosto Dourado, como passou a ser chamado pela entidade, trará para o debate sobre este tema. 

“Convocamos os médicos brasileiros e todos que defendem uma saúde de qualidade para crianças e adolescentes a apoiarem essa iniciativa. Diariamente, durante o Agosto Dourado, a SBP reforçará essa mensagem. Mas nossas ações em favor do aleitamento não se limitarão a esses dias. Faremos muito mais, todos os meses, pelo bem-estar de nossos bebês e das famílias”, exortou. 

Campo político - Como parte das comemorações para o Agosto Dourado, a SBP também planeja uma série de ações. Na esfera política, será feito um corpo-a-corpo junto aos tomadores de decisão, de diferentes setores – governos, Congresso Nacional, Poder Judiciário, segmento empresarial, sindicatos, associações – pedindo a criação de condições para que a mulher possa amamentar seu filho. Uma das preocupações é que sejam oferecidos ambientes adequados, em especial nos locais de trabalho.

Além disso, a SBP quer apoio à mudança na legislação para que seja ampliado o período de licença-maternidade, o que possibilitaria à mulher praticar o aleitamento de seu filho. Segundo dra. Luciana, estudos científicos comprovam a eficácia do leite materno na redução de morbidades, mortalidades, desigualdades, violência, danos ambientais bem como na prevenção de diversas doenças, além de fortalecer o vínculo afetivo entre mãe e filho.

Compartilhar informações - Outra preocupação da SBP será dividir com os médicos e a população, em geral, dados como científicos e epidemiológicos, de forma simplificada. Ao ampliar o acesso às informações, de maneira didática, espera-se reforçar o papel do aleitamento na vida das crianças e das mulheres.

Por outro lado, as pílulas de informação, na forma de cards para os meios digitais, serão produzidos e distribuídos todos os dias de agosto. Serão mostradas 31 razões para as mães amamentarem, a partir de orientações de especialistas do Departamento Científico de Aleitamento Materno.

A primeira dessas razões, anunciada nesta terça-feira (1º), diz respeito ao impacto da amamentação na diminuição da mortalidade de crianças. Estimativas recentes sugerem que a amamentação, se fosse ampliada para níveis universais, poderia prevenir cerca de 12% das mortes de crianças menores de cinco anos de idade a cada ano, ou cerca de 820 mil mortes em países de média e baixa renda.

No campo do conhecimento, a SBP oferecerá aos médicos e à população quatro novos documentos científicos, produzidos pelo seu Departamento de Aleitamento Materno, com informações atualizadas e relevantes para o apoio e o estímulo a essa prática. De forma complementar, também será produzido, em agosto desse ano, uma nova edição do boletim AmamentAÇÃO, com conteúdo específico sobre o tema, como sínteses de artigos e outros tópicos de interesse.

Simpósio – Ainda como parte do esforço contínuo de dar visibilidade a este gesto simples, mas com repercussões para toda a vida do recém-nascido, a SBP prevê a realização do I Simpósio de Aleitamento Materno da SBP, que ocorrerá junto ao Congresso Brasileiro de Pediatria, de 10 a 14 de outubro de 2017, em Fortaleza (CE). Serão dois dias dedicados à apresentação, análise e debate sobre diversos aspectos relacionados ao aleitamento materno.

“Procuraremos priorizar as situações mais comuns no cotidiano do pediatra e também abordar as últimas novidades relacionadas ao assunto, como a importância do leite materno para o microbioma saudável intestinal da criança, favorecendo a imunidade e o desenvolvimento cerebral”, lembrou a presidente da SBP, dra Luciana Rodrigues Silva.

Durante o I Simpósio de Aleitamento Materno da SBP também devem ocorrer discussões de casos e a criação de um espaço no qual os pediatras participantes poderão apresentar suas próprias experiências. Dentre os palestrantes, estão previstos especialistas renomados do Brasil e do exterior para contribuir com as abordagens a serem realizadas.

Mobilização – Como parte do plano estratégico para o Agosto Dourado, a SBP quer estimular a mobilização dos profissionais em torno do tema. A presidente da SBP, em mensagem de vídeo enviada por e-mail aos pediatras, os convida a compartilhar as ações desenvolvidas junto aos seus pacientes e familiares no sentido de estimular e apoiar o aleitamento materno. Os interessados em contar suas históricas, como forma de dividir experiências, podem enviar seus cases para o e-mail sbp@sbp.com.br.

No vídeo, Luciana Rodrigues Silva, destaca o papel da amamentação no Brasil e a importância de cada médico neste processo.  “Contamos com o protagonismo de cada pediatra nesta campanha. Esse envolvimento deve ser perene para todo profissional devotado, pois amamentar vale ouro para o presente e o futuro das nossas crianças”, defendeu a dra. Luciana.

Parceria – Em paralelo às ações coordenadas diretamente pela SBP, a entidade também dará seu apoio institucional à campanha da Semana Mundial do Aleitamento Materno de 2017, cujo tema desse ano é “Trabalhar juntos para o bem comum”. No Brasil, a iniciativa está sendo desenvolvida pelo Ministério da Saúde, com lançamento previsto para o dia 4 de agosto (sexta-feira), em Curitiba (PR).

Para Amal Omer-Salim, codiretora-executiva da Aliança Mundial para as Ações de Aleitamento Materno (Waba), as atividades da Semana do Aleitamento Materno, em nível global, mostram a importância da sociedade, em especial dos médicos e outros profissionais da saúde, de “trabalhar juntos para identificar o que funciona e superar os desafios comuns na promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno”.

A Semana Mundial do Aleitamento Materno vem sendo comemorada desde 1992. A cada edição, uma temática relevante é selecionada para servir de mote para as diferentes atividades desenvolvidas no período. A importância do aleitamento materno exclusivo; a existência dos hospitais Amigo da Criança; o apoio ao aleitamento materno; o aleitamento materno para a mulher trabalhadora; a amamentação no contexto dos objetivos de desenvolvimento sustentáveis; integram a lista de assuntos já abordados.

Para a presidente do Departamento Científico de Aleitamento Maternos da SBP, Elsa Giuliani, nesta aliança, a presença do pediatra é fundamental, pois, com frequência, são os profissionais a quem as mães e suas famílias recorrem quando enfrentam dificuldades para iniciar e manter a amamentação. “Mas, para poder apoiar essas mães e famílias, os pediatras têm que estar preparados, o que nem sempre ocorre. Atitudes positivas, conhecimentos e habilidades relacionadas ao aleitamento materno são indispensáveis”, explicou.
 
Fonte: SBP