Evento na Fiocruz debate saúde, ambiente e sustentabilidade

24/07/2017

O Programa Institucional de Saúde e Ambiente, da Vice-Presidência de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde (VPAAPS/Fiocruz), promoverá o 4º Seminário Nacional de Saúde, Ambiente e Sustentabilidade entre os dias 31 de julho e 3 de agosto de 2017. O seminário tem por objetivo avaliar os progressos alcançados pela instituição, identificar lacunas e definir estratégias para o enfrentamento dos desafios futuros. "A relações entre saúde, ambiente e desenvolvimento acompanham a trajetória da Fiocruz desde sua origem. No contexto da Rio-92, esse campo incorporou o conceito de sustentabilidade resultando no fortalecimento da produção técnico científica da instituição", explica Guilherme Franco Netto, assessor em Ambiente da VPAAPS, no texto de apresentação do evento. Em sua abertura, a atividade contará com a participação da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, do vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde, Marco Menezes, e do diretor da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), Hermano Castro. O seminário será dividido em dois blocos, que compreenderão mesas-redondas, exposições, debates e oficinas de trabalho. Os interessados em participar do seminário devem se inscrever on-line.

Segundo Guilherme Franco Netto, a decisão do 6º Congresso Interno da Fiocruz, realizado em 2011, ratificada pelo 7º Congresso Interno, realizado em 2014, de eleger saúde, ambiente e sustentabilidade como um dos seus cinco eixos estratégicos, possibilitou à Fiocruz alcançar posição de destaque no campo de saúde, ambiente e sustentabilidade, em âmbito nacional e internacional.

"Esse alcance motivou a constituição do Programa Institucional de Saúde e Ambiente, o estabelecimento da Câmara Técnica de Saúde e Ambiente, a realização dos 1º, 2º e 3º Seminários de Saúde e Ambiente e da Jornada de Saúde e Ambiente, entre outras relevantes iniciativas, que resultaram no desenvolvimento e consolidação de uma rede de dispositivos institucionais que atuam nas dimensões de ciência, tecnologia e inovação, ensino, cooperação técnica, contribuição às políticas públicas e apoio ao fortalecimento de serviços. Entretanto, os complexos cenários globais, nacionais e locais sobre as relações entre saúde, ambiente e sustentabilidade apresentam novos desafios que necessitam ser considerados, com vistas à atualização dessa agenda", adverte ele.

O seminário será composto de dois blocos. No primeiro bloco, que acontecerá nos dias 31 de julho e 1º de agosto, ocorrerão mesas-redondas e exposições seguidas de debates sobre os resultados alcançados e os desafios contemporâneos e futuros, com definição de diretrizes para elaboração de teses desse eixo para o 8º Congresso Interno, que acontecerá em dezembro de 2017. O público desse primeiro bloco será integrado por pesquisadores da Fiocruz, representantes de outras instituições acadêmicas e representantes do movimento social organizado.

O segundo bloco, que será realizado nos dias 2 e 3 de agosto, consistirá numa rede de oficinas de trabalho para aprimoramento e validação dos documentos institucionais temáticos de saúde e ambiente, sendo eles: saúde e biodiversidade, saúde e clima, saúde e saneamento, saúde do trabalhador, avaliação de impacto à saúde de grandes empreendimentos, saúde e agrotóxicos e desafios da política nacional de saúde integral das populações do campo, floresta e águas. Esses documentos integrarão uma série temática que será publicada ainda em 2017. Outras atividades sobre saúde e ambiente serão também realizadas, como a reunião do Grupo Temático de Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva.

Fonte: Site da Fiocruz