Na Mídia - Cremerj recebe denúncia sobre falta de insumos no HAC

Tribuna de Petrópolis /

20/12/2019


A seccional Petrópolis do Conselho Regional de Medicina (Cremerj) está apurando denúncia feita pelo ex-diretor do Hospital Alcides Carneiro (HAC), o médico Claudio Morgado sobre falta de insumos no Centro Cirúrgico da unidade. Os problemas no abastecimento levaram ao cancelamento de procedimentos eletivos e apenas as cirurgias de emergência estavam sendo realizadas no hospital. O médico, que assumiu a direção em fevereiro deste ano, foi demitido dias depois da denúncia feita ao Cremerj esta semana. No fim da tarde de ontem, o vereador Antônio Brito convocando a secretária de Saúde, Fabíola Heck, para prestar esclarecimentos na próxima segunda-feira.

'Recebemos a denúncia e estamos apurando. Em breve, faremos uma vistoria na unidade para verificar qual a real situação', comentou o coordenador da seccional do Cremerj, Guilherme Toledo. Ele explicou que depois da vistoria, um documento será elaborado e entregue à Prefeitura e à direção do HAC. 'Vamos estabelecer prazos para que todos os problemas que forem encontrados sejam sanados', disse o coordenador.

De acordo com a denúncia, o desabastecimento no Hospital Alcides Carneiro vem ocorrendo há cerca de quatro meses. Não foi informado a quantidade de cirurgias eletivas (que não são de urgência) que foram suspensas devido à falta de insumos. 'A denúncia foi bem clara de que não havia condições de manter o centro cirúrgico em funcionamento sem esses insumos', comentou Guilherme.

Entre os medicamentos em falta na unidade estão anticoagulantes, morfina, agulhas, seringas, curativos, materiais básicos usados em cirurgias, entre outros. Além disso, há denúncia de problemas na esterilização de itens do centro cirúrgico e usados nos procedimentos médicos e de enfermagem.

Denúncias chegaram ao Ministério Público e Coren

Além da falta de insumos para o funcionamento do centro cirúrgico do Hospital Alcides Carneiro, o Conselho Regional de Enfermagem (Coren) também recebeu denúncia sobre a ausência de profissionais na UTI Neo Natal. De acordo com os enfermeiros, as equipes estão reduzidas o que prejudica o atendimento no setor.

A denúncia gerou vistoria de representantes do Coren e também da seccional Petrópolis do Conselho Regional de Medicina (Cremerj). 'Fomos acionados pelo conselho e também pelo Ministério Público para fazer a vistoria em conjunto. Um documento já está sendo elaborado e será enviado à Prefeitura e ao hospital para que os problemas sejam sanados', comentou o coordenador da seccional, Guilherme Toledo.

O coordenador não quis comentar o resultado da vistoria, alegando que está sob sigilo. A fiscalização aconteceu na semana passada.

Em nota, a Prefeitura negou que o HAC tenha recebido visita ou inspeção do Cremerj ou do Coren. A nota afirma ainda que 'o quadro de profissionais da UTI Neo Natal, encontra-se completo, com 3 equipes'. Segundo a Prefeitura, 'problemas de logística dos fornecedores ocasionaram alguns atrasos nas entregas, que resultou na necessidade de remarcação de alguns procedimentos cirúrgicos'. No entanto, afirmam que 'os fornecimentos de insumos estão sendo normalizados'. A nota acrescenta que 'todos os equipamentos possuem contrato de manutenção com empresas especializadas que quando acionadas, adotam as providências imediatamente'.