Na Mídia - Confirmada bactéria da peste bubônica

Extra / Cidade

14/01/2019


Uma paciente, de 57 anos, internada no Hospital Luiz Palmier, em São Gonçalo, foi diagnosticada com a presença da bactéria Yersinia pestis, causadora da peste bubônica. De acordo com a prefeitura, a mulher deu entrada no Pronto Socorro Central no último dia 22 de dezembro, apresentando insuficiência cardíaca. Com a suspeita de ser um caso de peste bubônica, foi iniciado um tratamento com antibióticos e a paciente foi internada em leito de isolamento para evitar disseminação.

Na unidade hospitalar, foi realizado o procedimento padrão de coleta de amostras oral, nasal e anal. Por estar com uma ferida na perna, também foi solicitada amostra da pele que diagnosticou a presença da bactéria. Uma coleta de hemocultura também foi feita e encaminhada para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que pode definir o diagnóstico. O resultado está previsto para sair no próximo fim de semana.

De acordo com a prefeitura de São Gonçalo, uma equipe do controle de zoonoses da Vigilância Ambiental foi até a residência da paciente para realizar uma inspeção de pragas e roedores. No entanto, não foi encontrado vestígio no local.

— A presença por si só da bactéria não é um exemplo de peste bubônica, mas não pode deixar a bactéria se desenvolver — afirmou o presidente do Cremerj, médio Sylvio Provenzano.

A peste bubônica, também conhecida como peste negra, é uma doença transmitida por meio de uma bactéria presente em roedores. A contaminação é feita por pulgas que picam o animal infectado e depois os humanos.

Doença é grave, mas tratamento eficaz reduz o risco de morte a 10%