Clipping - Cidades do estado do Rio perderão 224 médicos cubanos

O Dia / Informa do Dia

17/11/2018


Só na capital, que já vive uma crise nos hospitais, um total de 41 profissionais trabalhavam em 32 unidades da rede de atenção primária

 

Cidades do estado do Rio vão perder 224 médicos cubanos. Só na capital, que já vive uma crise nos hospitais, um total de 41 profissionais trabalhavam em 32 unidades da rede de atenção primária, como as clínicas da família, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Os municípios da Baixada Fluminense também foram prejudicados. Em Duque de Caxias, por exemplo, 11 cubanos não farão mais parte do programa Mais Médicos, do governo federal, criado em 2013, no governo Dilma Rousseff. De acordo com a prefeitura, 38.500 pacientes ficarão desassistidos.

 

Ida a Brasília

Em Queimados, sete médicos cubanos atendiam 2.100 moradores por mês. Na terça-feira, o prefeito Carlos Vilela (MDB) vai ao Ministério da Saúde tentar solucionar o problema.

 

Cadastro

O Cremerj iniciará, nesta segunda-feira, o cadastro pelo site da entidade de médicos que queiram ocupar as vagas dos cubanos. A relação será encaminhada ao Conselho Nacional de Medicina e ao Ministério da Saúde.

 

Efeito Bolsonaro

O governo de Cuba anunciou o fim da participação no Mais Médicos após o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), questionar a qualificação dos médicos cubanos e afirmar que faria mudanças no acordo.