CREMERJ e Cbmerj promovem seminário sobre incêndios

17/02/2020

O CREMERJ, junto ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (Cbmerj), realizou, nesse sábado, 15, o seminário “Incêndios em estabelecimentos assistenciais de saúde (EAS): estamos preparados?”. Cerca de cem Médicos estiveram presentes para entenderem como agir em incêndios nas unidades de saúde.

Ao abrir o evento, o presidente do CREMERJ, Sylvio Provenzano, frisou a importância do assunto.

“Estou muito feliz pela parceria do CREMERJ com a corporação dos Bombeiros. Tenho certeza de que essa iniciativa nos proporcionará uma manhã muito proveitosa em termos de discussão e de entendimento dessas situações”, declarou.

 Após, Provenzano convidou à mesa a vice-presidente do CREMERJ Célia Regina da Silva, o subsecretário estadual de saúde, Roberto Pozzan, o diretor do Hospital Central do Exército, José Oiticica, o diretor geral de saúde do Cbmerj, Roberto Miura, a diretora do Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro, Gabriela Graça Soares, o diretor de atividades culturais da Associação de Hospitais do Estado do Rio Janeiro (Aherj), Graccho Alvim e o secretário geral da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), Rômulo Capello.

Com a tragédia no Hospital Badim, em 2019, Célia Regina também ressaltou a relevância do seminário.

“O tema é de suma importância no Rio de Janeiro e fico muito feliz em ver esse auditório cheio. Fomos totalmente abertos à realização dele pois, cada vez mais, nos preocupamos com a prevenção de incêndios, tanto nas instituições públicas como nas privadas”, declarou.

A primeira palestra, “Incêndios em estabelecimentos assistenciais de saúde: prevalência no Rio de Janeiro e aspectos relevantes”, foi proferida pelo coronel do Cbmerj Rogério Casemiro. Ele apresentou pontos a melhorar nas análises de risco, sequências de evacuação, medidas obrigatórias, prevenções e outros.

O coronel destacou também a utilização de manuais como os da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Casemiro mostrou ainda um comparativo com a Europa que, mesmo com prédios mais antigos, foi possível diminuir o número de mortes com as devidas modificações.

Na segunda palestra, dada pelo major João Flavio Machado, foi apresentada uma linha do tempo com a evolução da legislação, das prevenções e a criação do Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Estado do Rio de Janeiro (Coscip), em 1976. O major destacou ainda tipificações, normas e recomendações para edificações.

O terceiro bloco foi realizado pelo coronel Elcio Carvalho, que alertou sobre as percepções de riscos, como possíveis acidentes que não nos damos conta, e a importância do gerenciamento do estresse nos profissionais da saúde em eventos críticos. Também mostrou conceitos básicos de ameaça, de vulnerabilidade e de risco.

A última parte foi ministrada pelo idealizador do evento, coronel Roberto Miura, que explicou como realizar a evacuação segura em ambientes com pacientes de UTIs, centros cirúrgicos e centros obstétricos.

Miura também falou da parceria com o Conselho.

“Eu agradeço ao CREMERJ pelo apoio para a abertura desse debate. E parabenizar a iniciativa de todos que aqui estão para discutir o tema na tentativa de minimizar a infelicidade que é um incêndio em uma instituição hospitalar”, disse.

Ao final, foi aberta uma sessão para debate.