Academia Nacional de Medicina completa 190 anos

04/07/2019


O diretor do Conselho Flavio Antonio de Sá prestigiou, nessa terça-feira, 2, a solenidade da Academia Nacional de Medicina (ANM), que fez 190 anos no dia 30 de junho. A ocasião foi aberta com a inauguração do novo Museu Inaldo de Lyra Neves-Manta – um dos poucos espaços no Brasil dedicado à divulgação da memória da medicina.

O local reúne um vasto acervo arquivístico, bibliográfico e museológico. Nele é possível encontrar coleções com peças de relevância científica, nas quais contêm parte da história evolutiva da medicina nacional.

O ex-presidente da ANM Pietro Novellino relembrou a época de seu mandato. “Tive a felicidade de inaugurar este prédio. Ele abriga a instituição científica cultural mais antiga do país e é um patrimônio histórico para toda a sociedade”, contou com satisfação.

Após a inauguração, uma cerimônia, mediada pelo atual presidente da ANM, Jorge Alberto Costa, foram apresentados os representantes das entidades presentes, incluindo o diretor do CREMERJ. Para encerrar a solenidade, o membro titular José Galvão Alves homenageou os acadêmicos falecidos e os novos integrantes da academia.

Flávio Antonio de Sá explicou a relevância do evento e a importância da academia.

“A Academia Nacional de Medicina é uma das sociedades médicas mais antigas da América latina. Além de sua importância histórica, ela também tem uma enorme relevância na formação e na prática médica. Para mim, como professor, ela tem forte influência nos ideais do ensino médico”, declarou o diretor.