Audiência pública debate condições de trabalho dos servidores

14/06/2019


O CREMERJ participou de uma audiência pública, nessa terça-feira, 11, para debater as condições de trabalho dos servidores da saúde contratados por Organizações Sociais (OS) de Saúde. O encontro foi promovido pelas comissões do Trabalho e de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O diretor do Conselho Ricardo Farias representou a entidade.

A mudança das OSs e a desassistência do Estado com os profissionais da área estavam entre os principais pontos discutidos na reunião, com destaque para a situação do Hospital Estadual Getúlio Vargas. A OS Pró-Saúde, que administrava a unidade na Penha, não dará continuidade aos trabalhos e uma nova, conhecida como Instituto Solidário, se responsabilizará pela gestão. Segundo representantes do Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Rio de Janeiro, poderá haver uma redução de pelo menos 300 funcionários, o que sobrecarregaria ainda mais os profissionais que lá atuam.

Em sua participação, Ricardo Farias destacou a importância do servidor público e a valorização deste profissional.

“No passado, médicos e demais profissionais de saúde tinham um vínculo com suas unidades. Não apenas davam seus plantões, mas treinavam outros profissionais. Estamos, infelizmente, perdendo isso. Vemos, também, que há falta de vontade política para resolver algumas questões por parte dos gestores. Isto ficou claro quando interditamos eticamente algumas unidades, porque não havia condições de exercer o ato médico nelas, e só assim tivemos um retorno quase imediato. É triste perceber que se chegou a este ponto. Estamos lutando pela saúde pública e pela valorização dos servidores”, disse.