Falta de recursos humanos ameaça emergência pediátrica do HFB

15/05/2019


Após receber denúncias de falta de recursos humanos na pediatria do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), a Comissão de Saúde Pública do CREMERJ convocou uma reunião, nesta terça-feira (14), com representantes da unidade e o diretor do Departamento de Gestão Hospitalar (DGH) do Ministério da Saúde, Marcelo Lambert, responsável por coordenar os seis hospitais federais do Estado.

Segundo os representantes do corpo clínico do HFB, a enfermaria da pediatria contava com 34 leitos e agora apenas 15 estão abertos, por falta de enfermeiros. Eles contaram também, que hoje há 11 plantonistas no serviço, com apenas três médicos lotados na emergência para os plantões de toda a semana:

“O que vimos ao longo dos anos foi a diminuição progressiva de profissionais. Acho muito difícil manter a emergência aberta com este desaparecimento de plantonistas. A situação atual não permite que o HFB preste o serviço de qualidade que sempre prestou”, afirmou a médica Maria da Graça Soares.

Lambert disse que esteve no hospital na última quinta-feira e não encontrou médicos na emergência pediátrica. Segundo ele, as informações que o DGH tinha sobre os recursos humanos da unidade mostravam 25 de plantão. Os médicos da unidade alegam que esta lista está desatualizada e muitos profissionais que constam nela já foram exonerados. O diretor do DGH se propôs a fazer um cadastramento de todos os funcionários das unidades federais para equalizar essas informações e poder, então, dimensionar as faltas de recursos humanos.

A coordenadora da Comissão de Saúde Pública do CREMERJ, Margareth Portella, ressaltou a necessidade de contratação de médicos: “É preciso contratar profissionais logo para manter o funcionamento da pediatria do HFB, assim como rever salários também para que estes profissionais queiram ficar na unidade”.

Lambert disse que há previsão de 1200 vagas para os seis hospitais federais e que vai levar estas questões para reunião no Ministério da Saúde no dia 17 de maio. Ele acredita que a solução será a contratação por empresas terceirizadas ou pela renovação dos contratos temporários.

Participaram da reunião também os diretores Luís Guilherme Teixeira Santos, Beatriz Costa e Ricardo Farias, além dos conselheiros André Luiz Lopes Costa, Luiz Zamagna e Walter Palis.