Janaína Paschoal e Talíria Petrone debatem parto no CREMERJ

30/03/2019


“A obstinação pelo parto natural leva mulheres à morte” e “O parto normal como uma conquista social e de liberdade das mulheres” foram os temas abordados pela deputada estadual em São Paulo Janaína Paschoal (PSL) e pela deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ), respectivamente, na mesa “A Sociedade e a visão do parto”. Foi o debate mais acalorado do evento e gerou intensa participação da plateia.

Janaína Paschoal citou seus estudos acadêmicos como advogada e professora de direito ao alegar a intenção de criar um projeto de lei para a liberação, em unidades públicas, da cesariana a parturientes. “Eu me deparei com casos concretos de mulheres que chegavam a maternidades públicas, em fase avançada da gestação, e foram induzidas a fazer um parto normal”, disse a deputada.

Ela falou ainda sobre a importância de a gestante ter autonomia para decidir a via de parto e citou a Resolução 2144, do Conselho Federal de Medicina, que pretende transformar em lei. “O CFM viu a crescente imposição do parto normal em unidades públicas e procurou estabelecer, de maneira clara, que a autonomia da paciente e dos médicos sejam respeitadas. Eu concordo”, disse Janaína.

A deputada federal Talíria Petrone defendeu o parto natural e também a liberdade das gestantes de escolher a forma de parir. “A cesárea deveria ser uma exceção na hora do parto. Porém, temos ainda algo pior nas instituições de saúde, que é a negação de informações a mulher, o que tem a ver com uma negação da autonomia sobre seu corpo e está atrelado ainda à estatística crescente de violência contra a mulher no Brasil”, disse a deputada.