Dia Internacional da Mulher é comemorado com homenagens

11/03/2019


O CREMERJ promoveu um evento especial em celebração ao Dia Internacional da Mulher, na sexta-feira (8), com uma palestra e uma homenagem a duas médicas e a uma funcionária do Conselho. O objetivo do evento foi debater a saúde feminina, suas conquistas e desafios. A professora da Universidade de São Paulo (USP) e psiquiatra Carmita Abdo apresentou a palestra “A sexualidade nas diferentes etapas da vida da mulher”, com dados de suas pesquisas recentes no Programa de Estudos de Sexualidade da Faculdade de Medicina da USP (ProSex).

“Neste dia, queremos destacar mulheres que quebram tabus. O Dia da Mulher é um momento de refletir sobre nossa história e as barreiras que ainda existem na nossa inserção na sociedade e na cultura”, disse a vice-presidente do CREMERJ, Célia Regina da Silva, responsável pela organização do evento, que lotou o auditório Centro Empresarial Rio, no Edifício Argentina.

Carmita Abdo expôs os resultados de sua pesquisa sobre a sexualidade da mulher e suas especificidades, da iniciação sexual à menopausa. A enquete ouviu 8 mil brasileiros de 18 e 70 anos. A idade média de início da vida sexual foi entre os 15 e 16 anos, e mais de 80% das mulheres declararam ter tido a primeira relação sexual com um namorado. Segundo a médica, após a menopausa, cai o número de mulheres sexualmente ativas – só metade acima dos 60 anos declara ainda fazer sexo.

As mulheres aos 60 anos que declaram já ter sido infiéis aos parceiros em algum momento da vida são cerca de 20%. Entre os homens na mesma idade, quase 70% dizem já ter traído. Entre as mulheres de até 25 anos, o percentual sobe para 49%, bem mais próximo dos 66% dos homens infiéis com a mesma idade.

Um terço das mulheres entre 18 e 25 anos declaram não ter orgasmos. Esse número diminui de 25 e 50 anos e volta a crescer entre as mais velhas. A pesquisa identificou ainda que a nova geração tende a experimentar mais na vida amorosa e sexual.

Homenagem

Três mulheres foram homenageadas pelo CREMERJ. O presidente do Conselho, Sylvio Provenzano, entregou placa comemorativa à médica Juçara Valverde, endocrinologista, poetisa e artista. Professora de Cirurgia Geral na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), ela atua nos hospitais Pedro Ernesto e Servidores do Estado. Ao receber a comenda, Juçara recitou uma de suas poesias e contou sua trajetória.

O presidente da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), Benjamin Baptista, homenageou Vanda Terezinha Vasconcelos, médica, advogada e pedagoga de Campos dos Goytacazes. Autora de dois livros, a pediatra é representante do CREMERJ na seccional de Campos e presidente da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia. Outra homenageada foi Maria da Penha Barbosa de Moura, advogada e funcionária mais antiga do Conselho. Ela trabalha no CREMERJ há 42 anos e atualmente gerencia o setor de Processo Ético-Profissional (PEP). Ela recebeu a homenagem do corregedor do Conselho, Luís Guilherme dos Santos.