CREMERJ promove I Fórum de Discussão da Saúde de Teresópolis

25/02/2019


O I Fórum de Discussão da Saúde do município de Teresópolis, parceria com a Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), divulgou neste sábado (23) a Carta de Teresópolis, documento com ideias e metas para nortear a política de saúde do município. O encontro contou com a presença de autoridades e representantes de instituições de saúde da região.

O presidente, Sylvio Provenzano, e a vice-presidente Célia Regina da Silva representaram o CREMERJ no evento. Também participaram o presidente da Somerj, Benjamin Baptista; o coordenador da seccional Teresópolis, Carlos Romualdo Barboza Gama; o vice-prefeito de Teresópolis, Ari Scussel; e o secretário de saúde municipal, Antonio Henrique Vasconcellos.

“Esse fórum, inicialmente realizado na seccional de Teresópolis, visa começar a entender os problemas inerentes à assistência médica dos municípios. Contamos com a parceria fundamental da Somerj, no esforço de tentar melhorar aquilo que é um consenso: a assistência médica vai mal. O que nos cabe enquanto CREMERJ é mostrar que nossa intenção de ser, além de um órgão fiscalizador, um fomentador de ações que possam contribuir para a melhoria no campo assistencial”, afirmou o presidente do CRM.

Na opinião do coordenador da seccional do CREMERJ em Teresópolis, Carlos Romualdo Barboza Gama, a intenção deste polo de discussões é transformar o Conselho em uma entidade que participa e propõe soluções para os problemas apresentados na área da saúde. “Até agora o saldo do fórum foi positivo, já que todos falaram sobre suas demandas com liberdade.”

Beatriz Costa, diretora do CRM e uma das organizadoras do evento, acrescentou que esse primeiro evento foi um ensaio para outros futuros. Ela reforçou que a intenção é percorrer municípios do Rio para promover a troca de informações entre gestores públicos e instituições de saúde, a fim de trazer soluções mais rápidas e diretas para os problemas.

Os temas da programação do evento foram “O papel do CREMERJ na fiscalização e normatização da prática da medicina no Estado do Rio de Janeiro” e “A gestão da saúde no município de Teresópolis – planos e metas”. Houve ainda uma mesa redonda que discutiu os temas “O que os hospitais podem colaborar para a melhoria da saúde do município de Teresópolis” e “O que esperar do poder público”. Também fizeram palestra os diretores do Hospital das Clínicas Constantino Otaviano de Teresópolis, Daniela Weber e do Hospital São José de Teresópolis, Paulo Ribeiro. Outro debate abordou atendimento de emergência e atenção básica à saúde.  

Também estiveram presentes o conselheiro e coordenador da seccional de Macaé e Rezende, Antônio Abílio de Santa Rosa, e representantes da seccional de Nova Iguaçu.  

Acesse aqui a carta na íntegra