Nota de reconhecimento

14/02/2019


O presidente do CREMERJ faz constar que um trabalho bem realizado, com amor, técnica e dedicação, mesmo que em momentos de tanta dor, como aconteceu há uma semana com os jovens talentos do Clube de Regatas do Flamengo, apazigua e proporciona paz aos corações de quem perde um ente tão querido.


O trabalho desenvolvido pela Dra. Gabriela Graça, médica legista, diretora do IML- Afrânio Peixoto e especializada em antropologia forense, em consonância com sua hercúlea equipe, usando o protocolo de DVI (disarter victim identification) para tragédias de massa, foi fundamental para, num pequeno espaço de tempo, entregar aos familiares dos vitimados, seus corpos.


Mesmo com tamanha dificuldade para a obtenção das digitais, a equipe de odontolegistas, em esquema de força tarefa, conseguiu identificar várias vítimas através de informações desde cedo obtidas com o CRF.


A interacão com os médicos do clube foi fundamental para o êxito dos trabalhos.
No sábado, 9, só havia dois corpos não identificados e com os dados antropométricos dos atletas, cedidos pelo clube, percebeu-se diferenças que poderiam ajudar na identificação.


A aplicação de métodos de antropologia forense, através de tabelas de medição de ossos longos para obtenção da estatura e a comparação dos dados dos atletas, somados a detalhes de características ósseas da mandíbula de um deles, permitiu fechar a identificação considerando se tratar de um evento fechado.


Ficam aqui nossos agradecimentos e reconhecimento aos brilhantes profissionais do IML-Afrânio Peixoto: dentistas, papiloscopistas, assim como os técnicos e auxiliares de necropsia.

Sylvio Provenzano
Presidente do CREMERJ