Residentes do município decidem permanecer em greve

19/12/2018


Em nova assembleia, realizada na sede do CREMERJ, médicos residentes do município do Rio de Janeiro decidiram permanecer em greve até que o pagamento da bolsa, referente ao mês de novembro, seja quitado. O debate aconteceu nessa terça-feira, 17, e foi presidido pelo residente de medicina de família e comunidade da Clínica Maria do Socorro, Guilherme Vale. O presidente da Associação dos Médicos Residentes do Estado do Rio de Janeiro (Amererj), Francisco de Assis Coelho, e diretor do CRM Ricardo Farias também participaram do encontro.

“Essa é a terceira assembleia dos médicos residentes do município, que estão em greve desde o dia 29 de novembro, devido ao não cumprimento dos requisitos mínimos para o trabalho de residência. Nós vamos conversar sobre o formato da greve, sempre reiterando que esse é um movimento legítimo e ninguém pode ser pressionado. Portanto, peço que nos contatem em caso de qualquer tipo de atitude abusiva ou assédio. Ninguém será responsabilizado e nem exposto. Chegamos a um estágio em que as negociações pararam, porém outras vias estão sendo acionadas e teremos que discutir novas estratégias”, iniciou Francisco.

Segundo Guilherme Vale, no dia 11 de dezembro, durante reunião dos residentes no Sindicato dos Médicos, representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS-RJ) prometeram que o pagamento dos salários de novembro será efetuado no próximo dia 21 de dezembro (sexta-feira).

“Vamos aguardar o cumprimento do que foi prometido, mas acredito que devemos seguir com nossas reivindicações até que se estabeleça um calendário de pagamento”, afirmou o residente.

Durante a reunião, os demais residentes deram seus informes sobre a situação em diversas unidades de saúde. Em seguida, foi aberta a votação para decidir estratégias futuras e nova configuração da paralisação.

Por unanimidade, ficou definida a permanência da greve não presencial, com 30% dos residentes em serviço, até o pagamento dos salários de novembro. “Caso o salário seja pago no dia 21, como o prometido, seguiremos em estado de greve até a realização de nova assembleia, que acontecerá no início do mês de janeiro”, concluiu o presidente da Amererj.