Maternidade Maria Amélia é tema de reunião no CREMERJ

19/12/2018


O CREMERJ recebeu nesta quinta-feira, 13, o diretor-médico da Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda, Wallace Mendes. A reunião teve como objetivo esclarecer denúncias enviadas ao Conselho, que relatavam a falta de medicamentos e insumos básicos na unidade. O atraso no pagamento de salários também foi apontado nas queixas.

De acordo com as reclamações, frequentemente o hospital fica sem artigos como álcool, luvas, papel para forrar maca itens fundamentais para o atendimento médico e clorexidina alcoólica. A diretora do CREMERJ Rafaella Leal, também questionou o atraso no pagamento dos salários.

“O que me preocupa é a falta de itens básicos para o ato médico. Entre as nossas funções como Conselho está assegurar que o médico possa exercer a medicina de forma adequada, por isso chamamos você aqui. Precisamos entender o que está acontecendo para que coisas tão fundamentais estejam faltando no hospital e também os motivos pelo qual os médicos não estão recebendo os salários”, disse Rafaela.

Wallace Mendes explicou que os repasses encaminhados à unidade têm sido suficientes apenas para fazer o pagamento dos funcionários celetistas. Por conta disso, a maternidade não está conseguindo quitar o pagamento das empresas terceirizadas e fornecedores. No entanto, ele informou que a Secretaria Municipal de Saúde tem enviado medicamentos e insumos para unidade e suprido as necessidades. Em relação aos salários, o diretor-médico informou que a há uma previsão de repasse para esta finalidade nos próximos dias.

O conselheiro Luiz Zamagna ressaltou a importância do funcionamento pleno da maternidade, principalmente neste momento em que a rede pública de saúde do Estado está em crise.

A vice-presidente do CREMERJ, Célia Regina da Silva, também participou da reunião.