CREMERJ repudia cortes na saúde para custear diesel

05/06/2018


A Medida Provisória (MP) 839, publicada na última quarta-feira (30), que promoveu duros cortes em áreas fundamentais para o país, como a saúde e a educação, causou indignação ao CREMERJ. Com a justificativa de ter que assumir o gasto extra de R$ 9,58 bilhões para bancar o subsídio ao diesel, o governo federal fez vários cortes e um dos mais afetados foi o Sistema Único de Saúde (SUS).

A saúde, que há anos vem sendo sucateada, mais uma vez não foi levada em consideração, apesar de sua ampla necessidade e da atenção que o povo brasileiro merece. Em vez de estudar meios para ampliar os investimentos na saúde, o governo federal cancelou, com a nova MP, cerca de 75 programas e projetos do setor, que totalizam R$ 179,2 milhões.

Entre os afetados nesta área, estão: Desenvolvimento Tecnológico e Inovação para a Prevenção e Vigilância de Doenças Transmissíveis e na Resposta às Emergências; Educação e Formação em Saúde; Aperfeiçoamento e Avaliação dos Serviços de Hemoterapia e Hematologia; Construção dos Institutos de Saúde da Mulher e da Criança e de Infectologia; além de programas de residência de profissionais de saúde, de estruturação da atenção especializada em saúde mental, de reestruturação dos serviços ambulatoriais e hospitalares prestados pelos hospitais universitários federais, de apoio à implementação da Rede Cegonha, de operacionalização do Sistema Nacional de Transplantes, de implementação de políticas de atenção à saúde e de fortalecimento do Sistema Nacional de Vigilância em Saúde.

“É mais um claro descaso do governo federal com os brasileiros. Trata-se de mais um duro golpe contra a saúde, que é uma área essencial para o país. Estamos indignados com essa decisão do governo federal. Essa deliberação resultará em mais desassistência no atendimento, sucateamento das unidades de saúde e condições indignas de trabalho para médicos e demais profissionais de saúde. A crise no setor no Rio de Janeiro é grave e é um absurdo saber que esses cortes tenham sido anunciados”, afirma o presidente do CREMERJ, Nelson Nahon.

Clique aqui e confira na íntegra a Medida Provisória (MP) 839/2018, assim como a lista das áreas e dos programas afetados pelos cortes.