Hospitais federais: nova tentativa para cumprimento judicial

14/05/2018


A decisão judicial que obriga o Ministério da Saúde a renovar os contratos temporários dos profissionais das unidades federais do Rio de Janeiro já tem meio ano, mas ainda não foi acatada pelo órgão. Diante da inércia da pasta, o presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, representantes do Coren-RJ e os parlamentares Jandira Feghali e Hugo Leal, da Comissão Externa da Câmara dos Deputados estiveram mais uma vez na 5º Vara Federal  do Rio de Janeiro para tratar do assunto. Recebidos nesta segunda-feira, 14, pelo juiz substituto Sérgio Bacayuva Tavares de Oliveira Dias, solicitaram, mais uma vez, alternativas para que se agilize a convocação dos recursos humanos nas unidades, que sofrem há tempos com péssimas condições para a assistência.

O magistrado se comprometeu a reavaliar a questão e citou a possibilidade de enquadrar os gestores no crime de desobediência civil.

Uma nova reunião está agendada para o dia 21 de maio no Departamento de Gestão Hospitalar (DGH) do Núcleo Estadual do Rio de Janeiro (Nerj) para tratar da situação do quadro de funcionários nas unidades.

“Os gestores estão atuando com irresponsabilidade, brincando com a vida da população do Estado. A Justiça já fez a sua parte, ordenando que os contratos sejam renovados. Os ministérios do Planejamento e da Saúde publicaram a contratação em Diário Oficial, mas até agora não concretizaram nada, enquanto a população continua agonizando nas unidades”, frisou Nahon.