CRM participa de reunião com médicos do Hospital da Mãe

10/04/2018


O CREMERJ participou de nova reunião com os representantes do Hospital Estadual da Mãe, em Mesquita, e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam), na última segunda-feira, 9, para dar continuidade à discussão sobre a recente troca de gestão da unidade e a situação trabalhista dos funcionários. No dia 2 de abril, a Organização Social (OS) Hospital Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ) teve o contrato rescindido com a Secretaria de Estado de Saúde (SES). O Instituto Gnosis assumiu a administração do hospital.

Segundo uma das médicas, os funcionários do Hospital Estadual da Mãe estão atravessando um momento de transição e a insegurança só aumenta.

“Soubemos da rescisão do contrato com a HMTJ através do Diário Oficial. Mas continuamos sem definições a respeito do nosso salário e de qual regime de contratação vão nos propor; se Pessoa Jurídica (PJ) ou CLT. Nós estamos trabalhando sem nenhuma garantia trabalhista e o salário do mês de março ainda não foi pago”, desabafou a médica.

De acordo com o presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, em recente assembleia (no dia 3 de abril) com representantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o atual secretário de saúde, Sérgio Gama, comprometeu-se a honrar os pagamentos dos funcionários, mas não se pronunciou a respeito dos contratos trabalhistas dos médicos do hospital.

Na opinião do presidente da Fenam, Jorge Darze, as dúvidas pendentes sobre condições de trabalho, tipo de contratação, dívidas trabalhistas e pagamento de verbas rescisórias dos funcionários devem ser esclarecidas com urgência pela SES. Caso a resposta não seja satisfatória, a Fenam vai solicitar duas audiências, uma no Ministério Público do Trabalho, para devida mediação do conflito trabalhista, e outra com o secretário de Saúde.