Cosec: Seccionais e subsedes participaram de reunião na sede

06/04/2018


Durante reunião da Coordenação das Seccionais e Subsedes do CREMERJ (Cosec), nesta sexta-feira, 6, na sede do Conselho, coordenadores e representantes das seccionais e subsedes debateram a situação da saúde em suas regiões. Entre os assuntos discutidos no encontro, destacou-se o funcionamento de hospitais e a possibilidade de greve de médicos da rede pública de Petrópolis.

O presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, abriu a reunião com os informes. Em seguida, o vice-presidente do CRM Serafim Borges apresentou a palestra “É possível prevenir a morte súbita no esporte?”, em que ressaltou a relevância da prática de atividades físicas e da presença de equipes médicas interdisciplinares na assistência a equipes esportivas.

Os coordenadores e representantes das seccionais deram os informes de suas regiões. Gerson Macedo, da seccional de Vassouras, contou que a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário de Vassouras (HUV) deve ganhar mais 12 leitos para atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de maio.

Em junho de 2017, Nahon e o conselheiro responsável pela Câmara Técnica de Terapia Intensiva do CREMERJ, Carlos Cleverson Pereira, visitaram o HUV. Por conta do atraso de repasses da Secretaria de Estado de Saúde (SES), a unidade foi obrigada a reduzir o funcionamento de mais de 50% dos leitos: dos 20 leitos, apenas oito estão disponíveis.

Segundo Macedo, após uma solicitação do CREMERJ, a SES acionou o Ministério da Saúde, que assinou, em fevereiro, uma portaria liberando a verba para o funcionamento dos novos leitos para o hospital. “Esta é uma vitória que ajudará muito o atendimento da população do sul do estado”, afirmou Nelson.

Ilmar dos Santos, da seccional de Angra dos Reis, relatou que a nova Organização Social (OS) que assumiu a gestão do Hospital Geral da Japuíba, o principal da região, está fazendo uma realocação dos médicos mais antigos da unidade para outros postos de saúde da cidade. 

Em Barra Mansa, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que desde março de 2017 vem sendo administrada pela Santa Casa da Misericórdia, está funcionando em ótimas condições, com pagamentos em dia e pacientes satisfeitos, segundo o representante da seccional, Bernardo Calvano. A prefeitura está estudando a possibilidade de reabertura da segunda UPA da cidade, que foi fechada.

Na cidade de Petrópolis, o cenário é bem diferente. Mais de 160 médicos de postos de saúde e ambulatórios municipais devem entrar em greve nesta segunda-feira, 9 de abril, caso o prefeito Bernardo Rossi não atenda às reivindicações do profissionais, que exigem a criação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), dentre outras demandas.

Também estiveram presentes no encontro o conselheiro do CRM Abdu Kexfe e representantes das seccionais de Nova Iguaçu, São Gonçalo, Resende,  Niterói, Duque de Caxias, Cabo Frio, Barra do Piraí, Valença e da subsede da Ilha do Governador.