CRM abre nova sindicância para apurar conduta de governantes

27/02/2018


O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro abrirá uma sindicância para apurar os fatos descritos em uma ação civil pública aberta ontem pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Nela, o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral; os ex-secretários de estado de Saúde Sérgio Côrtes, Marcos Esner Musafir e Felipe Peixoto; 12 servidores do Estado, uma empresa, um consórcio e quatro executivos são acusados de improbidade administrativa na assinatura de contratos da área de saúde.

De acordo com a ação, os denunciados fecharam acordos com firmas para serviços de estocagem, distribuição, armazenamento e destinação final de medicamentos, insumos, produtos e materiais médico-hospitalares. Os contratos resultaram em prejuízo aos cofres do Estado superior a R$173 milhões e trazem consequências à saúde do Rio até hoje.