Médicos da Maternidade Maria Amélia estão sem salários

20/02/2018


A Maternidade Municipal Maria Amélia Buarque de Holanda, localizada no Centro do Rio de Janeiro, que é gerida pela Organização Social (OS) Instituto Gnosis, está com salários dos profissionais em atraso, além do déficit de insumos e medicamentos para prestar assistência à população.

Médicos da maternidade protocolaram denúncias no CREMERJ, durante o mês de fevereiro, nas quais informam que os responsáveis por realizar atendimento no ambulatório, visitas à enfermaria e plantão, não recebem com regularidade desde novembro de 2017. O depósito do FGTS também foi interrompido na mesma época.  

Além disso, os médicos relataram que os vencimentos de dezembro de 2017 foram depositados somente no dia 29 de janeiro de 2018 e o salário de janeiro está sem previsão para pagamento.

Para o presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, a maternidade em pleno funcionamento é essencial para manter um adequado atendimento às gestantes e aos bebês do município do Rio de Janeiro.