CRM e Defensoria Pública da União firmarão termo de cooperação

10/11/2016


O defensor público da União, Daniel Macedo, esteve no CREMERJ, no dia 3 de novembro, para uma reunião com os conselheiros, em que foi proposto um termo de cooperação técnica. O compromisso visa a um trabalho conjunto dos órgãos no sentido de levantar dados, fiscalizar e organizar ações na área da saúde do Estado do Rio de Janeiro. Estiveram presentes na reunião os conselheiros Nelson Nahon, Gil Simões, Serafim Borges e Aloísio Tibiriçá.

Uma das conclusões do encontro foi a formação de um grupo de trabalho que envolveria não só o CREMERJ e a Defensoria da União, mas outros órgãos da Justiça que serão convidados a participar. 

“Temos muitos problemas na saúde, mas estamos agindo. No Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), por exemplo, instauramos uma ação civil pública e conseguimos realizar mais de 10 mil cirurgias de pacientes que estavam há muito tempo esperando. Fizemos o mesmo em outros seis hospitais federais. Não há cultura de concursos e os médicos estão sobrecarregados. Os hospitais não têm sequer um sistema único informatizado. Foi uma demanda nossa”, contou Daniel Macedo sobre o trabalho que tem feito na área da saúde na Defensoria Pública da União.

Indo ao encontro desse relato, o vice-presidente do CREMERJ Nelson Nahon lembrou a situação do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), no Fundão.

“Para se ter uma ideia, o hospital tinha 515 leitos e hoje está com 275. Uma obra foi concluída e a unidade poderá contar com mais 40 leitos de cirurgia e 22 de CTI, que não estão sendo utilizados por falta de pessoal. Fomos ao Ministério da Educação reivindicar a  contratação imediata de recursos humanos. Esses leitos, no entanto, não serão abertos porque não podemos realizar concursos”, ressaltou Nahon. 
 
Na cooperação estabelecida durante a reunião, ficou acordado um primeiro foco na área de oncologia, cujos dados o CREMERJ já está levantando, e em seguida, no início de 2017, para as Unidades e Centros de Terapia Intensiva adultos, pediátricos e neonatais.