UPA de Araruama tem dificuldades no atendimento

08/11/2016


Mais uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Região dos Lagos passa por dificuldades. A UPA de Araruama, que é referência no atendimento de urgência e emergência no município, encontra-se com déficit de profissionais, medicamentos e equipamentos, além de superlotação e condições inadequadas de higiene.

Devido à dificuldade em transferir pacientes para outras unidade, a UPA mantém doentes graves internados, mesmo sem as condições adequadas. A maior dificuldade é conseguir nos hospitais da região vagas de clínica médica, terapia intensiva, bem como cirurgias ortopédicas. Os médicos também reclamam das péssimas condições de trabalho e do atraso nos salários.

Também foi identificada falta de equipamentos, materiais e insumos, o que interfere na qualidade da assistência. Destaca-se ainda a ausência dofornecimento de materiais para higienização das mãos de profissionais de saúde e de pacientes, além da falta de caixas adequadas ao descarte de materiais perfurocortantes contaminados.

Outro problema identificado pelos fiscais foi o déficit de manutenção dos equipamentos. Durante o transporte de paciente grave da UPA para outra unidade de saúde, para a realização de exames ou internação hospitalar, há desfalque da equipe médica e de equipamentos que precisam ser retirados da unidade, tendo em vista que a ambulância disponível é muito básica.

"O quadro na saúde de Araruama é muito grave e coloca em risco a população. É importante que a prefeitura amplie as unidades de atendimento e mantenha a UPA em condições adequadas. Do jeito que está não pode continuar", declarou o presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez.

Foto: Divulgação do Governo do Estado do Rio de Janeiro