Urologia: faltam equipamentos no Hospital Municipal da Piedade

03/11/2016


A Comissão de Saúde Pública do CREMERJ recebeu, no dia 27 de outubro, na sede do Conselho, representantes do Serviço de Urologia do Hospital Municipal da Piedade referência no tratamento de litíase. O setor está enfrentando dificuldades em realizar o tratamento de cálculos de ureter superior ou renal, pois há dois anos estão sem o aparelho de ureterorrenolitotripsia na unidade. 

A preocupação do staff é em relação à transferência de pacientes, com patologias que necessitam do aparelho, que ainda estão sendo realizadas para o hospital, aumentando o risco de comorbidades e complicações. O chefe do serviço de urologia Allan Vommaro Mendes relatou que os médicos não conseguem realizar os atendimentos devido à falta de manutenção dos equipamentos. 

“Já pedimos para a direção do hospital comunicar ao Sistema de Regulação (Sisreg) que o serviço de urologia não está conseguindo realizar atendimentos devido à falta de equipamentos. Além disso, o intensificador de imagem que é utilizado nas cirurgias endoscópicas apresentou no defeito, no dia 24 de agosto”, relatou Allan Vommaro. 

O vice-presidente e Coordenador da Comissão de Saúde Pública do CREMERJ Nelson Nahon falou que é muito preocupante que o município tenha um polo de urologia que não apresenta as condições adequadas para a assistência da população. 

“O CREMERJ se dispõe a ajudar a unidade a cobrar providências da Secretaria Municipal de Saúde para que o serviço volte a realizar os atendimentos na sua totalidade”, disse Nahon. 

Os residentes de urologia que estavam presentes na reunião relataram que a falta de manuseio dos equipamentos e, por consequência, a não realização de procedimentos mais complexos tornam a formação deficitária. 

“A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) retirou o credenciamento da unidade para residência médica por não estarmos seguindo as suas exigências, no momento temos somente o do Ministério da Educação”, declarou Allan Vommaro Mendes. 

Sobre a situação dos residentes, o diretor do Conselho Gil Simões, que também é coordenador da Comissão de Médicos Recém-Formados do CREMERJ disse que a comissão pode ser acionada a qualquer momento. 

“A composição do serviço e a falta desses equipamentos traz deficiências para a formação do profissional. A Comissão trabalha em conjunto com a Associação Médica dos Residentes do Estado do Rio de Janeiro (Amererj) para defender os direitos dos residentes”, falou Gil Simões.

Ao final da reunião, o diretor Nelson Nahon afirmou que será feito um ofício em nome do Conselho, para ser encaminhado para a Secretária Municipal de Saúde e para o Ministério Público da Tutela Coletiva da Saúde.

Estiveram presente o diretor do Hospital da Piedade Sérgio Luiz Fonseca Adeodato e o diretor técnico do Hospital da Piedade José Alberto Vaz Morais, além dos médicos Gilmar Tadeu Cantadori, Fabiano José do Nascimento, Moisés Borges Teixeira e Leonardo Augusto da Conceição que compõem o serviço de urologia do Hospital da Piedade.