Presidente da Fiocruz é eleito médico do ano pela SMCRJ

24/10/2016


A Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (SMCRJ) realizou nesta segunda-feira, 17, no auditório do Hospital Universitário Gafreé e Guinle, a 38º edição do prêmio Médico do Ano, com cerimônia solene em homenagem ao Dia do Médico (18 de outubro). Esse ano, o título de Médico do Ano foi conferido ao presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Paulo Gadelha. 

A presidente da SMCRJ e conselheira do CREMERJ, Marilia de Abreu Silva, entregou em mãos a placa de homenagem ao médico eleito, e ressaltou a importância de Gadelha na luta pela Saúde Pública: “Agradecemos a dedicação desse profissional que realiza há décadas um trabalho excepcional na Fiocruz e por todo o país. Esse dia é especial, e serve para nos lembrar de todos os desafios que a classe médica enfrenta e supera no Brasil, como a luta diária pela valorização profissional”.

O homenageado iniciou o seu discurso agradecendo a todos que colaboraram e estiveram presentes em seus anos de formação acadêmica. “Essa homenagem tem um sentido muito especial por reconhecer a relevância de Doutores que fizeram a diferença na história da Medicina, e principalmente pelo cenário atual que atravessamos, com crises política, econômica, e sanitária, onde lutamos permanentemente contra Zika, Dengue e Chicungunha. Carregarei com muita honra e alegria essa placa, esse momento e esse simbolismo, encarando como um compromisso pessoa e incentivo para continuar a fazer ainda mais pela população e pelo país”, finalizou o médico.

O vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, parabenizou Paulo Gadelha recordando sua atuação e luta na Conferência Nacional de Saúde, em 1986, que gerou a formação do SUS. “Gadelha foi um dos principais incentivadores da implantação do SUS e, até hoje, é um grande lutador da saúde pública. Então, nesse momento em que a saúde vem sendo subfinanciada e golpeada pela PEC 241, que pretende congelar o orçamento da saúde por 20 anos, temos que dar os parabéns a ele pela sua trajetória na Fiocruz e na luta pela saúde do Brasil”, concluiu Nelson Nahon.

O representante do CFM no Rio de Janeiro e conselheiro do CREMERJ, Sidnei Ferreira, também reforçou a contribuição de Paulo Gadelha para a saúde pública brasileira. “Ao longo de toda sua carreira, Gadelha atuou com dignidade e tendo o bem estar dos seus pacientes e suas famílias como objetivo principal do seu ofício, solidificando a nossa crença de que a nossa luta pela assistência de qualidade não é em vão”, declarou.

Também participaram do evento a coordenadora de ensino da Escola de Medicina e Cirurgia da UniRio, Maria Marta Tortori; o representante da Associação Médica Brasileira; Eduardo Vaz, o presidente da Sociedade de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), José Ramon Blanco e o representante da Academia Nacional de Medicina, Carlos Alberto Basílio.

Sobre a Solenidade Médico do Ano

Desde 1978, a Sociedade de Cirurgia e Medicina do Rio de Janeiro, reconhece médicos que fizeram e fazem a diferença de alguma forma e que exercem a Medicina em benefício da população, contribuindo com a promoção da saúde do país, com ética e amor a profissão.  Ivo Pitangui, Pedro Ernesto, Paulo Niemeyer e Raul Fialho de Faria Junior são alguns dos médicos que já foram agraciados com o reconhecimento.