UPAs de Barra Mansa continuam em crise

20/09/2016


Representantes do CREMERJ estiveram neste sábado, 17, em Barra Mansa e constataram que ainda é crítica a situação das duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do município. Há meses as UPAs passam por uma grave crise por conta dos atrasos dos repasses da prefeitura. Salários estão atrasados, permanece o déficit de recursos humanos e faltam medicamentos e insumos.

Na UPA do Centro, no sábado, havia somente um pediatra de plantão. Funcionários relataram a carência de medicamentos, de materiais para a realização de exames complementares e até aparelhos para medir pressão.  Na UPA Leste só havia dois clínicos para atender todos os pacientes que buscavam assistência. O local está sem laboratórios e equipamentos de raios-x, além de medicamentos. Nas duas unidades não tinham ambulâncias adequadas para remoção de pacientes que necessitem de transporte.

Os médicos também reclamam das péssimas condições de trabalho e do atraso nos salários. A Organização Social (OS) que administra a unidade alega não receber os repasses da prefeitura.

“O quadro na saúde de Barra Mansa é muito grave e coloca em risco a população. É importante que a prefeitura resolva imediatamente a questão dos repasses para as unidades, que é obrigação constitucional”, declarou o vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon. 

Também compareceram na visita às UPAs o conselheiro Olavo Guilherme Marassi Filho e o coordenador da seccional de Barra Mansa, Bernardo Romeo Calvano.