CREMERJ lamenta a morte do médico Ivo Pitanguy

08/08/2016


O CREMERJ lamenta profundamente a morte do médico, professor e escritor brasileiro, Ivo Pitanguy. O cirurgião plástico faleceu neste sábado (6), aos 93 anos, após sofrer uma parada cardíaca em sua residência, no Rio de Janeiro. 
 
Nascido em 1926, Pitanguy começou a graduação na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e se formou pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1946. Por meio de concurso para interno de cirurgia geral, iniciou sua formação cirúrgica no Hospital Municipal Souza Aguiar. Por mais de 10 anos continuou se especializando em cirurgia plástica e fez estágios nos Estados Unidos e na Europa.

Criou o serviço de tratamento para pacientes queimados do hospital Souza Aguiar e o primeiro serviço de cirurgia de mão e de cirurgia plástica reparadora da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. Na década de 60, com a colaboração dos médicos residentes, tratou de forma abrangente das vítimas do grande incêndio do Gran Circo Norte-Americano, em Niterói, acontecimento que despertou a atenção de todos para a real importância social da cirurgia plástica.

Em 1963 inaugurou a sua própria clínica, que se tornou um centro de referência nacional e internacional da especialidade, tendo sido frequentada por cerca de cinco mil cirurgiões plásticos. 

Em 1989, o Papa João Paulo II lhe concedeu o Prêmio Cultura da Paz. Também recebeu da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o Prêmio pela Divulgação Internacional da Pesquisa Médica.

"Pitanguy colocou o Brasil como referência em cirurgia plástica no mundo e tinha um olhar social para os menos favorecidos. Perdemos um grande e talentoso colega", declarou a conselheira e responsável pela Câmara Técnica de Cirurgia Plástica do CREMERJ Marcia Rosa de Araujo.

Sua última aparição pública foi no dia anterior à sua morte, quando conduziu a tocha olímpica dos Jogos do Rio. Pitanguy deixa a mulher, Marilu, quatro filhos e cinco netos.

* Na foto, Pitanguy, a conselheira Marcio Rosa e Fortunato Benaim, cirurgião plástico argentino que com sua equipe veio reforçar o atendimento aos queimados do Gran Circo, em Niterói.  A foto foi feita na solenidade dos 50 anos do dramático incêndio, realizada na Associação Médica Fluminense (AMF).