Criada Associação Brasileira de Medicina de Emergência do RJ

04/05/2016


Foi realizada na sede do CREMERJ, nessa terça-feira, 26, a reunião que fundou e elegeu a primeira diretoria da Associação Brasileira de Medicina de Emergência – Regional Rio de Janeiro (Abramede-RJ). 

A primeira diretoria da associação, composta por médicos da rede pública e privada, é formada pela presidente, Patrícia Neto; pela vice-presidente, Lucia Helena Pezzi; pelo primeiro secretário, Silvio Pessanha Neto; pela segunda secretária Cândice Vasconcelos; pela primeira tesoureira, Cintia Rodrigues; e pelo segundo tesoureiro, Thiago Ribeiro da Silva.

Para Patrícia Neto, a criação da regional é uma vitória para os emergencistas. “Considerando a gravidade dos pacientes que chegam as emergências e as particularidades que envolvem a logística desse tipo de atendimento faz-se essencial a criação da especialidade e da própria Abramede-RJ, além de um modelo de residência para formar profissionais capacitados para atuarem na linha de frente das unidades públicas e privadas”, ressalta.

O reconhecimento da medicina de emergência como especialidade foi uma bandeira defendida pelo CREMERJ durante anos. Aloísio Tibiriçá – que coordena o Grupo de Trabalho (GT) sobre Emergência desde sua criação em 1996 – também presente a reunião, lembra que o GT sempre foi uma referência no Rio de Janeiro. 

“Nele, chefes das emergências públicas das três esferas de governo se reúnem para discutir os principais problemas e soluções para a melhor qualificação da assistência. Durante os anos, diversos temas foram incorporados nas reuniões, além da realização de diversos congressos de emergência”, destaca Aloísio. 

Integrante das câmaras técnicas de Urgência e Emergência do CRM-RJ e do Conselho Federal de Medicina, a diretora Erika Reis lembra que a criação de uma sociedade de emergência também era uma luta do CREMERJ.

“Apoiamos o surgimento da associação de emergência no Rio de Janeiro, principalmente após o reconhecimento da especialidade do emergencista nacionalmente a partir de articulações feitas pelo CFM em conjunto com a Comissão Nacional de Residência Médica e a Associação Médica Brasileira”, frisa.

Em março, a CT de Urgência e Emergência do CREMERJ promoveu uma reunião na qual o presidente da Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramede) nacional e conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul Luiz Alexandre Alegretti Borges falou sobre os programas de formação de residência e especialização da emergência médica.