CREMERJ participa de debate em favor da democracia na Fiocruz

04/04/2016


O presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez, participou do debate “Tribuna livre: em defesa da democracia e dos direitos sociais”, promovido pela Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), nessa quarta-feira, 30. O encontro reuniu representantes de entidades, parlamentares, pesquisadores, estudantes, moradores da periferia e militantes de movimentos sociais que lutam em defesa do estado democrático de direito.

A mesa de abertura foi composta pelo presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, e pelo diretor da Ensp Hermano Castro. Em seu discurso, Gadelha deu boas-vindas aos participantes e lembrou que as discussões sobre saúde sempre estiveram diretamente vinculadas às sobre democracia.

Hermano Castro falou que a proposta do evento era dar voz a todos, neste momento conturbado da sociedade brasileira. “Todos que estão reunidos aqui defenderam e continuam defendendo a nossa democracia. A ideia é que cada um possa colocar seu posicionamento e preocupações com a atual conjuntura política e econômica do país”, disse.
 
Em sua participação, o presidente do CREMERJ frisou que o Brasil vive um momento muito crítico. “A nossa democracia tem um período curto de existência e ainda é bastante superficial, com muitas contradições. Infelizmente, observamos que a maioria dos eleitos é representante de grupos econômicos e não das classes trabalhadoras e isso enfraquece a democracia. Conquistamos avanços nas desigualdades socioeconômicas, porém elas são muito aquém do desejado e do necessário”, afirmou.

Pablo Vazquez destacou ainda que o Conselho defende o combate à corrupção, porém ele precisa ser feito de forma homogênea para todos e que isto não está acontecendo.

Um dos destaques do debate foi o depoimento do advogado Antônio Modesto da Silveira, que defendeu presos políticos durante a ditadura militar.“Vejo aqui amigos e velhos companheiros de luta, alguns dos quais eu defendi como vítima dessa ditadura que durou 21 anos, e cuja sequela continua até hoje e continuará por muitos anos. Eu os defendi pela ousadia que tiveram em lutar pelos direitos humanos”, disse, sendo aplaudido de pé pela plateia.

Também participaram do evento o vereador Paulo Pinheiro, o ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão; o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Lehrer; o deputado estadual Eliomar Coelho; e representantes da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), do Sindicato dos Servidores da Fundação Oswaldo Cruz, do Sindicato dos Nutricionistas do Estado do Rio de Janeiro, do Movimento Comunidades Populares Manguinhos, da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, entre outros.