CREMERJ questiona denúncias de atendimento no Rodolpho Rocco

14/03/2016


 
A Comissão de Saúde Pública recebeu nessa quinta-feira, 10, a diretora técnica da Policlínica Rodolpho Rocco, Cristiana da Costa Lourenço, para discutir denúncias de problemas relacionados ao atendimento pediátrico da unidade. Os membros da comissão, os diretores Nelson Nahon e Gil Simões, também questionaram o novo horário do plantão, que passou de 24h para 12h.
 
De acordo com Gil Simões, o Conselho foi informado sobre a dificuldade dos profissionais em assistir aos pacientes perto das 19h, que é o atual horário de fechamento. Além disso, as denúncias também apontam que as crianças que buscam atendimento depois desse horário têm sido assistidas por médicos generalistas.

O diretor ainda lembrou que em recente reunião com o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, o Conselho foi informado de que existe uma ambulância disponível 24 horas na unidade para atender casos de emergência pediátrica. No entanto, as notícias dão conta da dificuldade em fazer as transferências.
 
“Fomos informados que a situação estava sob controle, mas uma semana depois as denúncias começaram a chegar. Hoje vimos que a realidade não corresponde ao que foi informado. A população não pode ser prejudicada em detrimento de um novo enfoque da secretaria”, declarou Simões. 

Nelson Nahon questionou o curto horário de funcionamento da emergência. “O perfil de uma unidade de emergência é de atendimento pleno, constante. Não é compreensível esse novo perfil”, enfatizou. 

A diretora técnica da unidade informou que a mudança no horário de atendimento da emergência foi decidida pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por conta do déficit de profissionais e da baixa demanda no horário noturno. Cristiana esclareceu que está ciente das dificuldades e que tem se reportado sempre que necessário para a SMS.