CREMERJ recebe novo secretário estadual de Saúde

06/01/2016


A Comissão de Saúde Pública do CREMERJ se reuniu na tarde desta terça-feira, 5, com o novo secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, o médico Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior. O encontro teve como objetivo conhecer o plano que será implementado para amenizar a crise financeira e de insumos dos hospitais estaduais e os novos projetos para a Saúde do Estado. O presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez, abriu a reunião destacando que é uma tradição do Conselho receber os secretários recém-empossados para discutir estratégias para melhorar o setor de saúde no Estado. Na ocasião, Vazquez abordou a crise na saúde do Rio e relatou as ações que o CREMERJ realizou para auxiliar as unidades hospitalares que apresentaram problemas, como a audiência com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e os deputados federais, em Brasília, no dia 17 de dezembro.

“O CREMERJ, juntamente com outras entidades médicas, se mobilizou para chamar a atenção das autoridades para a calamidade dos hospitais federais e estaduais do Rio. Nossos esforços trouxeram resultados, mas ainda há muito a se fazer para que essas unidades tão importantes saiam da situação de crise”, declarou Vazquez.

Ex-secretário municipal de Saúde de Nova Iguaçu, Luiz Antônio assumiu o cargo no dia 1º de janeiro e disse que tem o objetivo de reestruturar as finanças da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Especializado em ortopedia, o médico enfatizou que sua gestão terá base a ética profissional. “Independentemente de qualquer ação, sou médico. Se tiver que tomar qualquer decisão que vá ferir alguma coisa dentro do nosso Código de Ética não vou fazer. Prefiro entregar o cargo. Vou liderar a crise, mas quero preservar o meu CRM”, declarou.

Na sequência, o secretário explicou que a principal medida, no momento, é cortar gastos. Para isso, ele vai reduzir verbas de custeio, renegociar contratos com os fornecedores e com as Organizações Sociais (OSs) que administram parte da rede e diminuir custos com aluguéis. Além disso, o secretário fez questão de enfatizar que a sua gestão terá o compromisso com os funcionários e a categoria médica.

“A SES tem um valor de contratação muito grande. Precisamos adequar as finanças aos valores que podemos honrar. Vou honrar os pagamentos privilegiado o funcionário. Vamos fazer ajustes contratuais com as OSs e fazer com que todas paguem seus colaboradores em dia e na mesma data, de preferência no primeiro dia útil do mês. Os funcionários precisam ter regularidade nos seus pagamentos para que possam cumprir seus compromissos. Isso reflete diretamente no trabalho”, frisou.

Luiz Antônio adiantou que um planejamento de gestão para 90 dias está em elaboração e que pretende discuti-lo em um novo encontro com o CREMERJ, outras entidades médicas, o Ministério Público e representantes da sociedade civil. A apresentação do projeto deverá acontecer nos próximos dias.

“Temos um modelo que funcionou, mas hoje precisamos pensar em outra estrutura. Quero muito resolver o problema das filas de cirurgia e o funcionamento das urgências e emergências. Assim que o planejamento for finalizado vamos discuti-lo para que a saúde do Estado fique dentro do que queremos”, finalizou.

O vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, elogiou o posicionamento crítico do secretário em relação aos contratos com as Organizações Sociais. “Muito bom saber que o secretário é contra a implementação das OSs nas unidades e que durante sua gestão na Secretaria Municipal de Saúde de Nova Iguaçu não firmou contrato com essas empresas. Sabemos que esse tipo de contrato causa uma série de problemas, desde questões ligadas à fiscalização, a discrepância salarial e aos vínculos empregatícios precários, entre outros”, comentou Nahon. 

Também participaram da reunião os conselheiros Ana Maria Cabral, Serafim Borges, Marília de Abreu, Gil Simões, Erika Reis, Carlos Enaldo de Araújo, José Ramon Blanco (também presidente da Somerj), Armindo Fernando da Costa e Aloísio Tibiriçá.