CFM divulga nota cobrando mais segurança nas unidades de saúde

23/12/2015


O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nesta sexta-feira, 11, uma nota pública sobre os sucessivos casos de violência registrados em estabelecimentos de saúde em que as vítimas são médicos e outros profissionais da área, na qual cobra dos gestores respostas imediatas aos problemas que têm ocorrido em diferentes municípios e Estados.

Confira abaixo a nota na íntegra:

 
 NOTA DO CFM A SOCIEDADE

Assunto: Violência praticada contra os médicos brasileiros

Os casos de violência praticados contra médicos no exercício de sua atividade têm chamado a atenção da sociedade e das entidades de classe. Exemplo recente, que provocou grande indignação, foi o caso do médico Antônio Andrade, da Unidade Mista de Saúde de Tibau do Sul, no Rio Grande do Norte, que, como registrado em vídeo, foi brutalmente agredido por um jovem insatisfeito com a necessidade de esperar por um atendimento, lugar comum no Sistema Único de Saúde (SUS) em face da excessiva demanda a ser assistida pelos seus profissionais. 

Diante desse quadro grave e recorrente, o Conselho Federal de Medicina (CFM) vem a público: 

1) Alertar os gestores sobre o impacto que a falta de segurança traz, em especial nos serviços da rede pública; 

2) Ressaltar a responsabilidade do Estado por esse lastimável e inaceitável contexto de violência, inclusive, por via transversa, em posicionamentos de gestores públicos que indispõem a população contra a categoria médica;

3) Exigir das autoridades competentes – nas esferas federal, estadual e municipal – a apresentação de um plano de trabalho com o objetivo de combater essa realidade, com ações imediatas que devolvam aos serviços de saúde a tranquilidade e a segurança necessárias para que médicos e outros profissionais possam cumprir a sua missão. 

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM)