Situação no Hospital Mário Kröeff permanece crítica

05/11/2015


Em fiscalização nessa sexta-feira, 27 de outubro, o CREMERJ constatou que continua crítica a situação do Hospital Mário Kröeff. A unidade passa por problemas causadas pela falta de exames complementares e fundamentais, como o eco color doppler e a tomografia. A ausência desses exames em tempo hábil tem resultado em atrasos no diagnóstico e, consequentemente, no início do tratamento.

Além disso, não houve adequação do corpo clínico e o hospital opera com defasagem de profissionais. O CTI possui apenas quatro leitos, além de não ter rotina e plantonista exclusivo, situação que contraria as normas legais .

A condição do hospital é muito complicada. Os pacientes em tratamento de câncer não podem passar tanto tempo à espera de um exame nem podem ficar sem assistência integral. É preciso normalizar essa situação e ampliar o corpo clínico o mais rápido possível, declarou o presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez.

Essa é a segunda vez neste ano que a unidade passa por vistoria. Em 27 de janeiro, os principais problemas encontrados pelo CREMERJ durante a fiscalização foram a falta de recursos humanos e a dificuldades na realização de exames.

"É uma situação que, infelizmente, continua, e as questões são graves. Todo paciente merece um atendimento digno. Não se pode adiar quimioterapias nem dificultar a realização de exames para pacientes, principalmente os oncológicos. Medidas urgentes precisam ser tomadas nesse hospital, afirmou o coordenador da Comissão de Fiscalização do CREMERJ, conselheiro Gil Simões.

O CREMERJ está denunciando a situação ao Ministério Público e a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).