Fórum de endoscopia digestiva do CREMERJ aborda novos temas

02/09/2015


Por meio da sua Câmara Técnica de Endoscopia Digestiva, o CREMERJ realizou o VIII Fórum de Endoscopia Digestiva Diagnóstica e Terapêutica – Situações Especiais em Endoscopia Digestiva, nesse sábado, 29 de agosto, na sede do Conselho. A conselheira e responsável pela câmara técnica da especialidade, Erika Reis, abriu o evento convidando o coordenador da câmara, Cleber Vargas, para intermediar as palestras e debates. 

“Os encontros de educação continuada são alguns dos destaques das atividades que o CREMERJ promove. Realizamos, atualmente, de 80 a 100 eventos como este, aqui na sede e em todas as seccionais. E é um prazer ainda maior abrir esse fórum, que é da especialidade da qual faço parte na câmara técnica”, enfatizou Erika.

Com o objetivo principal de trazer atualização não apenas aos endoscopistas, como também aos médicos de outras especialidades, o VIII Fórum de Endoscopia Digestiva trouxe temas não tão comuns na rotina dos consultórios e hospitais. 

“A endoscopia digestiva tem assuntos frequentes que geralmente ocupam as reuniões e a câmara técnica, então, pensamos em falar de um assunto não muito abordado. Hoje vou falar de uma doença que surgiu há apenas 20 anos: a esofagite eosinofílica”, explicou Cleber.

A integrante da Câmara Técnica de Endoscopia Ana Maria Zuccaro salientou a importância da atualização dos médicos das demais especialidades. 

“Nos últimos 20 anos, a endoscopia avançou muito na questão terapêutica. Por isso procuramos dar a noção dos problemas e das resoluções. Preparamos o evento com uma linguagem compreensível e trazendo informações atualizadas”, disse Ana Maria, que tratou em sua palestra sobra a esofagite de refluxo e o esôfago de Barrett.

Na sequência, o presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva – Estadual Rio de Janeiro, Ronaldo Taam, palestrou sobre a “Conduta nos Pólipos Gástricos”. Temas como “Colangites – o papel da endoscopia digestiva”, ministrada por Huang Ling Fang, “Visão atual das doenças inflamatórias do intestino delgado”, de Afonso Celso Paredes, e “Abordagem endoscopia da doença inflamatória do colo”, apresentada por Flávio Abby, também fizeram parte da programação do encontro, finalizado com debates e perguntas dos participantes.