Albert Schweitzer: ameaça de transferência preocupa médicos

31/08/2015


Médicos estatutários do Hospital Estadual Albert Schweitzer estão sendo ameaçados de serem transferidos da unidade. A denúncia foi feita nessa quinta-feira, 27, para os diretores do CREMERJ Serafim Borges e Ilza Fellows. Com mais de 20 anos de história no hospital, os médicos relataram que, na época, eles prestaram concurso para atuarem especificamente no Albert Schweitzer.
 
Segundo eles, em abril, os estatutários receberam uma carta da Secretaria Estadual de Saúde que perguntava se eles queriam continuar na unidade ou se preferiam ser transferidos. No entanto, em junho, a Secretaria enviou outra notificação informando que eles precisariam ser realocados.
 
“Fizemos o concurso anos atrás para o Albert Schweitzer. Não é justo o Estado querer nos obrigar a sair do hospital. Só queremos ser respeitados e ter o direito de permanecer na unidade. Além disso, em nenhum momento fomos chamados para conversar. Sempre partiu de nós essa iniciativa e mesmo assim a informação não é transmitida claramente”, relataram os médicos.
 
De acordo com o grupo, a explicação da direção é que, por ter se tornado um hospital gerido plenamente por uma Organização Social (OS), o Albert Schweitzer precisará realocar os estatutários. A unidade também vem fechando vários serviços, dentre eles, o de saúde do idoso.
 
Para o diretor do CREMERJ Serafim Borges, a situação é absurda e os colegas devem ter direito de escolher se preferem continuar ou não no hospital.
 
“Trata-se de um descaso com os médicos estatutários. Eles têm experiência, dedicaram anos de trabalho na unidade. A falta de diálogo e de direito de escolha é desrespeitosa. Vamos debater o assunto internamente, mas desde já declaramos o nosso apoio a essa luta”, afirmou Serafim.
 
A conselheira do CREMERJ Erika Reis também participou da reunião.