CREMERJ e Inca debatem regulação no serviço de oncologia

13/07/2015


Membros da Câmara Técnica de Oncologia do CREMERJ se reuniram nessa segunda-feira, 6, na sede do Conselho, para debater a importância de uma regulação voltada para os pacientes de oncologia. O presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez, que é responsável pela câmara técnica, conduziu a reunião, que teve também a participação de representantes do Instituto Nacional de Câncer (Inca).
 
“Sabemos que há muitos problemas com a regulação e os pacientes oncológicos vêm sendo diretamente atingidos. Eles precisam de um diagnóstico rápido, de tratamento e de acompanhamento. Nosso objetivo é encontrar meios que possam tornar esse processo mais simples na rede pública”, afirmou Vazquez.
 
Para os participantes, a desorganização da regulação é uma das principais dificuldades. No Rio de Janeiro, é o município que regula a maioria das vagas, que são determinadas por procedimentos que o paciente necessita passar. 
 
“A questão é que o paciente oncológico precisa realizar vários procedimentos ao longo do seu tratamento, praticamente um seguido do outro. E determinar que esse paciente entre na fila toda vez que necessitar passar por outro tratamento pode resultar na evolução da doença, comprometendo, inclusive, a chance de cura”, relataram.
 
Como este ano a regulação será assumida pelo Estado, os membros da câmara técnica decidiram aguardar este acontecimento para retomar o debate. O grupo pretende realizar até o início de 2016 um fórum com a presença de representantes da rede federal, estadual e municipal, do Ministério Público e da Defensoria Pública para avaliar se houve aprimoramento na regulação e o que pode ser feito para melhorar.
 
O diretor-geral do Inca, Paulo Eduardo Xavier de Mendonça, também participou da reunião.