CREMERJ participa do Jubileu de Prata de diretor do Iede

16/03/2015


O CREMERJ participou da solenidade Jubileu de Prata do endocrinologista Ricardo Meirelles no Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (Iede) nessa terça-feira, 12, no auditório do Hospital Moncorvo Filho. O médico, que é membro da Câmara Técnica de Endocrinologia do Conselho e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, foi homenageado pelos 25 anos à frente da direção geral do instituto.
 
O presidente do Conselho, Pablo Vazquez, participou da mesa de abertura ao lado do diretor administrativo-financeiro da Fundação Saúde, Daniel Rosa de Almeida; da subsecretária de Unidades Próprias da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Valéria Moll; do presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Alexandre Hohl; e do diretor do Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Gutemberg Almeida Filho.
 
Em sua participação, Pablo Vazquez ressaltou a importância do Iede para o Rio de Janeiro e parabenizou Ricardo Meirelles pelo trabalho como diretor e médico que vem realizando na unidade.
 
"O Iede é referência no tratamento de diabetes e de outras patologias endócrinas e metabólicas, além de ser um centro de ensino. O CREMERJ defende uma saúde pública de qualidade, porque a população merece ser atendida dignamente. É com satisfação que participo dessa cerimônia e parabenizo o Dr. Ricardo por sua dedicação nessa unidade", frisou o presidente do CREMERJ.
 
Além disso, Pablo Vazquez chamou a atenção para o capítulo 3º da Lei 12.871/2013, que institui o "Programa Mais Médicos", que garante vagas de residência médica equivalentes ao número de egressos dos cursos de graduação em medicina do ano anterior.
 
"Esse capítulo trata da formação médica no Brasil. Com essa lei, o governo garante uma vaga de residência médica para cada egresso de faculdade de medicina e profissionaliza os preceptores. O desafio está exatamente em conseguir que isso se cumpra e com qualidade. Centros formadores de especialidade, como o Iede, serão os viabilizadores, portanto precisamos atuar juntos", destacou.
 
A história de Ricardo Meirelles no Iede começou em 1968, quando ele ainda cursava o 3º ano da faculdade de medicina da UFRJ. Em 1972, o médico fez especialização pelo Estado e foi contratado em 1974. Em 8 de fevereiro de 1990, ele assumiu a direção geral da unidade.
 
"Minhas primeiras palavras são de gratidão. É uma honra contribuir para o crescimento do Iede. É uma busca que nunca acaba. Nossos próximos passos são implantar a quarta fase do Programa Neonatal, as cirurgias do transgenitalização e bariátrica. Quando completarmos estes objetivos, certamente já estaremos com outros em vista", garantiu o gestor, que, ao longo de sua trajetória no Iede, criou os ambulatórios de endocrinologia feminina e de disforia de gênero (destinado ao atendimento de transsexuais), implantou o Programa Primeiros Passos de Triagem Neonatal e auxiliou na abertura da Unidade do Pé Diabético.
 
Além das felicitações de todos os integrantes da mesa, o diretor geral do Iede recebeu homenagem surpresa da sua esposa e filha, que também são médicas.
 
A conselheira Kássie Cargnin, que também é do Departamento de Defesa Profissional da Sbem-RJ, participou do evento como representante da Câmara Técnica de Endocrinologia do CREMERJ.