CREMERJ recebe explicações administrativas da Fundação Saúde

22/09/2014


O diretor técnico assistencial da Fundação Saúde do Rio de Janeiro, Luiz Amorim, se reuniu com os conselheiros do CREMERJ Pablo Vazquez, Carlos Enaldo de Araújo e Marcia Rosa de Araujo, nessa sexta-feira, 19, para falar sobre a situação do Hemorio.
 
Segundo Amorim, atualmente, o instituto enfrenta reflexos de problemas ocorridos há cerca de dois meses, quando por razões administrativas, o Hemorio teve dificuldades de efetuar a compra de alguns medicamentos e materiais. Em função disso, a Fundação Saúde passou a intermediar esse processo.
 
“Entendo a preocupação do CRM, mas vim trazer essa informação. Hoje, não há mais problemas de falta de medicamentos e de insumos. Atualmente, só há uma baixa no estoque. Há medicamentos que contam com um estoque mais amplo e outros que não. O Hemorio tinha a tradição de ter um estoque grande e isso pode preocupar, mas não há falta”, explicou o diretor técnico.
 
Luiz Amorim lembrou que a migração do Hemorio para a Fundação Saúde começou em 2012. No entanto, somente este ano a Fundação passou a comprar insumos, medicamentos e materiais.
 
O diretor do CREMERJ Pablo Vazquez ressaltou que o Conselho esteve na unidade após informações de colegas, que estavam preocupados com o tratamento dos seus pacientes, o que foi confirmado em visita do CREMERJ à unidade.  Vazquez também relatou que a entidade realizou ações com o objetivo de tentar colaborar com o instituto, participando, por exemplo, de uma reunião com o secretário estadual de Saúde, Marcos Musafir.
 
“O secretário explicou que houve um problema de licitação, que acabou dificultando o processo de compra de alguns medicamentos. Essa situação é preocupante, porque problemas administrativos não podem interferir na continuidade do tratamento dos pacientes”, disse Vazquez.
 
Ao ser indagado sobre a falta de antibióticos e morfina, Luiz Amorim reconheceu que houve um problema, mas garantiu que foi solucionado.
 
Além disso, o diretor técnico informou que a UTI do Hemorio será inaugurada até dezembro.
 
“O CREMERJ tem um compromisso com os médicos e com a população, portanto vamos continuar acompanhando esse caso. Sabemos que o Hemorio é referência em todo o país e uma importante unidade no nosso Estado. Não vamos permitir a descaracterização ou a desvalorização desse instituto. Continuaremos a cobrar soluções”, afirmou Vazquez.