Convênios: médicos farão nova rodada de negociações

18/09/2014


As propostas oferecidas pelos planos de saúde foram discutidas em assembleia, nessa segunda-feira, 15, pelo Movimento de Convênios. Representantes do CREMERJ, das sociedades de especialidade e das associações médicas de bairro decidiram por unanimidade instituir uma nova rodada de negociações com as operadoras, já que alguns dos valores oferecidos para consultas e procedimentos ficaram aquém do que a categoria tem reivindicado.

A coordenadora da Comissão de Saúde Suplementar (Comssu) do CREMERJ, a conselheira Márcia Rosa de Araujo, chamou a atenção para o comportamento da NotreDame/Intermédica, que até o momento não apresentou proposta, e da Porto Seguro, que propôs pagar para procedimentos valores variados de acordo com o tipo de plano do beneficiário.

“Vamos enviar um ofício reivindicando uma proposta da NotreDame/Intermédica e da Porto Seguro, e estipular um prazo até a próxima assembleia. Quanto à NotreDame, que foi comprada por uma empresa multinacional e está entrando no mercado do Rio, já vemos uma posição que nos preocupa pelo desinteresse com relação aos honorários médicos. Vamos também chamar a SulAmérica e a Amil para uma nova rodada de negociações”, afirmou Márcia Rosa.

Já o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, ressaltou o ato público em defesa da saúde suplementar, realizado na quarta-feira, 10, no Centro do Rio de Janeiro. 

“Foi um evento bastante positivo. Fizemos uma panfletagem explicando para a população quais são as nossas reivindicações. Além disso, é importante que continuemos falando com os nossos pacientes sobre o movimento, mantendo a panfletagem nos consultórios e nas clínicas”, disse.

Os médicos também votaram pela divulgação das reivindicações do movimento nas redes sociais e pela confecção de um banner, com arte padrão, para ser distribuído nos hospitais, clínicas e consultórios.

Na ocasião, Márcia Rosa também convidou as sociedades de especialidade e as associações de bairro para participarem de uma reunião com a Amil sobre consultório-satélite, nesta segunda-feira, 22, às 12h30, na sede do Conselho.

Além disso, durante a assembleia, a conselheira destacou a Lei 13.003/2014, que define a contratualização dos médicos e o reajuste anual para a categoria, e que tem até o dia 24 de dezembro para ser regulamentada. Segundo ela, a Comssu já enviou um documento contendo 12 itens para a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) como propostas para serem incluídas nos contratos.

Márcia Rosa também participará pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) de uma reunião com a ANS, no próximo dia 25, para falar sobre a lei.

“É importante que as sociedades avaliem todos os pontos para fazermos qualquer reivindicação antes da regulamentação”, salientou.

A coordenadora da Comssu frisou que os médicos lutarão por um reajuste digno em 2014, independentemente da lei. 

“A lei só entrará em vigor após ser regulamentada. Ano que vem, continuaremos reivindicando a equiparação dos honorários de enfermarias aos de quartos e a unificação das tabelas de honorários pela CBHPM Plena”, concluiu.

Clique aqui e acesse os valores da CBHPM Plena.

Clique aqui e confira os valores da proposta da Golden Cross para 91 procedimentos.