Peritos relatam péssimas condições de trabalho ao TCMRJ

13/06/2014


Médicos peritos do município e representantes do CREMERJ e do Sinmed-RJ participaram de uma reunião com o presidente do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCMRJ), Thiers Montibello, nessa segunda-feira, 9, para discutir sobre o relatório feito pelo órgão fiscalizador, que avaliou as condições e as instalações da perícia médica da cidade.

O documento foi elaborado após uma auditoria operacional realizada pela 1ª Inspetoria Geral de Controle Externo (SGCE), há cerca de três anos, na Secretaria Municipal de Administração, com foco na Gerência de Perícias Médicas. O relatório, anexado ao processo, foi encaminhado à prefeitura no final do ano passado. Nele, alguns dos itens avaliados já foram concluídos, porém outros, como a realização de concurso público, uma das principais reivindicações dos peritos, ainda estão em andamento.

Para Montibello, a luta dos peritos é justa. Ele também destacou a importância da atuação da categoria para os servidores e seus dependentes.

“Foi muito bom receber o grupo de vocês no TCMRJ. Há uma pressão legítima conosco, então vamos voltar a nossa a atenção ainda mais para esse caso”, afirmou.

No encontro, os peritos relataram que, na semana passada, logo após a paralisação de advertência de 24h promovida no dia 2, integrantes do movimento participaram de uma reunião com o secretário municipal de Administração, Paulo Jobim Filho, por solicitação dele próprio. No entanto, segundo os peritos, ao contrário do que se esperava, não houve nenhuma proposta. 

“Ele apenas disse que está fazendo o possível para realizar o que está sendo pleiteado, o que foi decepcionante”, disse um perito que esteve na reunião com Jobim.

Na ocasião, o diretor do CREMERJ Gil Simões disse que o Conselho continua apoiando a luta dos peritos.

“É uma situação realmente complicada. Os colegas estão sobrecarregados e sem receber o que deveriam. O CREMERJ se compromete mais uma vez em apoiar a luta da categoria, porque é justa e ética”, declarou.

Na reunião, ficou decidido que as entidades médicas tentarão agendar uma audiência pública com o presidente da Câmara dos Vereadores, Jorge Felippe, para debater a situação da perícia municipal. Além disso, avalia-se a possibilidade de marcar uma reunião com o prefeito Eduardo Paes para explicar pessoalmente os problemas que a categoria enfrenta.

As principais reivindicações dos peritos são concurso público, plano de cargos e salários e reajuste salarial imediato. Atualmente, o salário-base deles é de R$ 933,67, chegando a cerca de R$ 1.300 se contar com a insalubridade e triênios. Com relação à quantidade de profissionais, hoje, há apenas 33 para atender todos os servidores do município e os seus dependentes. 

O presidente do Sinmed-RJ, Jorge Darze, e o secretário-geral de Controle Externo do TCMRJ, Marco Antonio Scovino, também participaram da reunião.