CREMERJ discute com médicos do HSE sobre adesão à greve

16/04/2014


Em assembleia realizada nesta terça-feira, 15, no Hospital Federal dos Servidores do Estado, membros do CREMERJ e do SINMED-RJ propuseram ao corpo clínico da unidade que se organize para, juntamente com os demais hospitais federais do Rio de Janeiro, participar da greve. O HSE e o Hospital de Ipanema são os únicos que ainda não aderiram ao movimento, iniciado em 17 de fevereiro e que ganha cada vez mais força.

No encontro, o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, apontou a importância da união dos médicos federais para que as reivindicações da categoria sejam ouvidas pelo governo. Um dos pontos principais é a correção da gratificação por desempenho. Desde a MP 568/2012, os médicos perderam em torno de R$ 1.300 por matrícula por mês e seus  vencimentos tornaram-se inferiores aos dos demais servidores federais de nível superior.

"Temos que nos fortalecer. Peço aos médicos presentes que levem as propostas aos demais membros do corpo clínico e expliquem a importância dessa luta. Formando uma comissão de greve, estaremos mais organizados. Quanto mais forte o movimento, mais rápido ele termina", destacou Sidnei.

Os médicos também pedem melhor infraestrutura e condições de trabalho, já que serviços e hospitais vêm sendo sucateados. A categoria deliberou ainda sobre a importância do trabalho de campo nos hospitais, incluindo assembleias com os médicos (esta foi a terceira realizada no HSE), reuniões com os pacientes e confecção de cartazes e folhetos.

O diretor do CREMERJ Gil Simões citou a importância da carreira de estado para a residência médica, que fica comprometida com a falta de preceptoria, e sugeriu maneiras de mobilizar os mais jovens.

"Temos que pensar em maneiras de atrair os jovens para que participem dos movimentos da categoria ", disse.

O diretor do Sinmed -RJ Eraldo Bulhões destacou ainda o quanto a união de forças faz a diferença.

"Para nós, sindicalistas, o papel do Conselho está sendo fundamental na luta da categoria por melhores salários e planos de carreira", afirmou.

Também estiveram presentes os diretores do CREMERJ Serafim Borges e Gilberto dos Passos; as diretoras do Sinmed -RJ Sara Padron e Maria Cecília Rodrigues e membros do corpo clínico do hospital.